Pato Branco

Voluntários contribuem para ressocialização na Apac

(Foto: Helmuth Kühl)

Em julho deste ano, a Associação de Proteção e Assistência aos Condenados (Apac) de Pato Branco completou quatro anos de atividades. Recebendo homens que buscam regularizar sua situação com a Justiça em um modelo diferente do tradicional, longe das grades, e onde os próprios detentos possuem as chaves nas mãos.

Com capacidade de acolhimento de 40 recuperandos, atualmente 20 deles estão no regime fechado e 20 no semiaberto, que os permite trabalhar, além de cumprirem a pena.

Segundo a presidente da Apac Pato Branco, Rosa Maria Pelegrini, a participação da comunidade vem sendo fundamental na recuperação dos internos.

Desta forma ela destaca o trabalho de empresários que empregam os apenados do regime semiaberto, mas evidencia acadêmicos de psicologia, enfermagem, grupos de serviços e entidades sociais que realizam ações constantemente na unidade.

Nessa segunda-feira (8), os recuperandos passaram a receber palestra motivacional do voluntário Samuel Silva do Nascimento. “Minha intenção é motivar tanto quem está entrando na unidade, mas também preparar os que estão saindo para a reintegração com a sociedade”, disse Samuel.

Retorno à sociedade

Rosa Maria afirma que durante os quatro anos de atividades no município, a Apac já colhe resultados. “Temos alguns recuperandos que já saíram da casa, e que seguem trabalhando na empresa que estavam quando integravam a unidade.”

A presidente comenta que o modelo adotado na Apac apresenta devolutivas positivas em um curto espaço de tempo. “É bastante comum recebermos relatos de familiares e conhecidos falando de mudanças de comportamentos dos homens que passaram pela unidade”, afirma Rosa Maria, falando na importância da Apac, não só para quem cumpriu sua pena, mas também para os familiares.

Modelo

No Brasil, principalmente em Minas Gerais e São Paulo, o modelo existe há mais de 30 anos e se diferencia das prisões comuns especialmente por não haver policiamento ou armas para a contenção dos detentos.

Classificados