Pato Branco

Sebrae Nacional visita empresas de alto potencial

Programa de apoio às iniciativas empreendedoras paranaenses possui semelhante somente no Rio de Janeiro

Desde maio de 2017, 85 empresas do Estado participam do Projeto Empresas de Alto Potencial. São negócios com potencial de crescimento e elevada capacidade de se diferenciar e gerar valor por meio da inovação, escalabilidade e gestão. Recentemente empresas foram visitadas por coordenadores na área de estratégia para Pequenos Negócios de Alto Impacto do Sebrae Nacional: Softfocus e LAM, em Pato Branco, e Accord Iluminação, em Dois Vizinhos.

“Fizemos visitas técnicas para conhecer as experiências de sucesso de pequenos negócios do Estado. O Sebrae Nacional já conta com uma estratégia para o segmento, mas queremos aprimorar as ações”, explica Mayra Viana, do Sebrae Nacional.

O Paraná foi escolhido por ter a maior concentração de empresas de alto impacto sendo trabalhadas. “São 85 empresas no Estado. Programa semelhante só existe no Rio de Janeiro”, completa Philippe Figueiredo, também do Sebrae Nacional.

O coordenador estadual do programa de Alto Potencial do Sebrae/PR, Emerson Cechin, informa que as empresas participantes da Regional Sul são de seis municípios – Pato Branco, Dois Vizinhos, Francisco Beltrão, Palmas, Bituruna e Paula Freitas – em diferentes ramos de atuação, como calçados, bebidas, fitoterápicos, eletroeletrônicos e até de remineralização de pó de basalto.

“São empresas com modelos de negócios diferenciados, que se destacam pelo plano sólido de crescimento e pela busca constante para melhorar o desempenho, seja em inovação, processos ou em excelência em gestão. Esperamos que possam inspirar novos negócios no futuro, observa Cechin”.


Empreendedores com visão

Para Figueiredo, o tema “Alto Potencial” ainda é muito jovem no país, o que representa um desafio. “Muitos dos empresários não percebem o potencial que têm”.

“Adotamos uma cultura de trabalho coletivo, que fez toda a diferença nos projetos, no envolvimento com os clientes e até na retenção de talentos”, diz Alessandro Graczyk Moraes, um dos sócios da Softfocus, criada em 2005 e que atualmente conta com 20 colaboradores.

Para ele, a presença dos analistas do Sebrae Nacional é um incentivo para continuar adorando boas práticas na empresa.

“Os analistas do Sebrae Nacional deixaram claro que o projeto de Alto Potencial se difere de outros projetos do Sebrae no aspecto de ser personalizado, de entender muito bem o negócio, o momento e as dores da empresa. E que estão querendo nos ajudar efetivamente a dar um salto ainda maior”, pontua Alessandro.

A LAM, empresa de chicotes elétricos, igualmente de Pato Branco também foi visitada. Fundada há três anos e meio, a empresa funcionou durante os primeiros 12 meses na cozinha da casa de Fabricio Scriptore de Carvalho, um dos sócios.

Atualmente, com 55 colaboradores, a empresa produz 280 mil peças por mês, entre chicotes e plugues elétricos para a linha branca (eletrodomésticos) e outros setores, como automotivo, eletroeletrônico, energia solar e agronegócio.

“O suporte do Sebrae tem sido fundamental em todas as áreas da empresa. Estamos conseguindo crescer com estratégia e visão de futuro. Vamos investir em equipamentos e na capacitação de pessoal. As perspectivas são muito boas”, reconhece Fabricio.

Classificados