Região

Saúde convoca população para combate a dengue

Água acumulada em um imóvel em demolição é denunciada por um morador de Pato Branco (Foto: Helmuth Kühl)

Um morador do Centro de Pato Branco denunciou nesta semana um possível criadouro de mosquitos Aedes aegypti, transmissor da dengue e outras doenças, localizado em um imóvel de demolição, que está acumulando água. Segundo ele, já informou a situação a vários órgãos de Saúde, porém nada foi feito a respeito.

No entanto, a dengue voltou a exigir estado de alerta, tanto da Saúde quanto da população. Nessa terça-feira (12), no boletim semanal, a Secretaria de Estado da Saúde do Paraná (Sesa) divulgou que em uma semana os casos confirmados da doença, no Estado, passaram de 798 para 962. Os casos autóctones – quando a contaminação ocorre no próprio município – aumentaram de 740 para 896, e os importados passaram de 58 para 66.

De acordo com a Sesa, seis municípios paranaenses estão em alerta de epidemia, quatro a mais que na última semana epidemiológica: Itambé (15ª Regional), Moreira Sales (11ª Regional), Rancho Alegre (18ª Regional), Santa Mariana (18ª Regional), Nova Londrina (14ª Regional) e Capanema (8ª Regional), no Sudoeste do Estado.

Diante da situação, o secretário de Saúde do Paraná, Beto Preto, informou que a Sesa, junto com os municípios, vem intensificando os trabalhos de combate ao mosquito transmissor. Ele convocou a população, alegando que é fundamental o envolvimento de todos nesse combate. Principalmente porque o período de transmissão deve se estender até o mês de maio.

Francisco Beltrão

Na região Sudoeste, a microrregião de Francisco Beltrão, de competência da 8ª Regional de Saúde, é a que mais apresenta risco climático de desenvolvimento de criadouros por estações meteorológicas. Segundo o boletim da Sesa, de julho de 2018 a março de 2019, foram 360 notificações e 43 casos confirmados de dengue, sendo 37 autóctones e 6 importados.

O município de Capanema é o mais em alerta, por estar em situação de risco de epidemia, junto com mais cinco municípios paranaenses.

Pato Branco

Na microrregião de Pato Branco, nesse mesmo período, foram 67 notificações, porém nenhum caso foi confirmado. O último boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde de Pato Branco, destaca que os primeiros casos de dengue em pessoas residentes no município começaram a se manifestar no ano de 2010, quando foram confirmadas três ocorrências. De lá para cá, foram registrados 130 casos, sendo 84 autóctones e 46 importados.

Cuidados

Para auxiliar no combate, de acordo com a Sesa, a população deve limpar os quintais todas as semanas, para evitar acúmulo de lixo que possa juntar água. Vasos de plantas também podem conter ovos ou larvas de mosquitos.

Os criadouros estão em qualquer acúmulo de água parada, por menor que seja; até em tampinhas de garrafa. Mas são encontrados com maior frequência em lixo, como resíduos plásticos, espalhados pelas ruas. É preciso atuar ativamente mantendo quintais limpos, sem acúmulo de lixo, pneus, garrafas, por exemplo; calhas, marquises e ralos.

Os pratos das plantas podem ser completados com areia grossa até as bordas ou ser lavados com água, bucha e sabão todas as semanas, para eliminar ovos do mosquito. Locais de armazenamento de água devem ser mantidos com tampas.

 

Classificados