Pato Branco

Réplica da Vila do Chaves está sendo construída em Pato Branco

["Material gr\u00e1fico da obra que ser\u00e1 finalizada ainda em 2019"] (Foto: Divulgação)

O sonho de qualquer fã do seriado mexicano “El Chavo Del Ocho”, conhecido no Brasil como Chaves, é ir dormir e acordar dentro da famosa vila em que moram os personagens do seriado e que acontecem boa parte de seus episódios.

Há aproximadamente dois anos, o engenheiro agrônomo Wilson Henrique Tatto resolveu construir um condomínio residencial. Mas, como um bom fã de Chaves, teve a ideia de fazer algo diferente.

“Eu quis construir não apenas uma casa, mas um ponto turístico para a cidade, uma coisa diferente que marcasse o município e que as pessoas pudessem visitar e relembrar de seu tempo de infância”, contou.

Foi assim que resolveu construir uma réplica em tamanho real do cenário da série. Wilson apresentou sua ideia aos engenheiros, que imediatamente abraçaram o projeto. “Quando ele apareceu com a ideia, ficamos não apenas surpresos, mas também empolgados para realizar um projeto totalmente diferente do que estávamos acostumados”, contou o responsável técnico da obra, Haron Bonamigo.

A obra, que está sendo construída desde outubro do ano passado, começou a ser planejada muito antes, na criação do projeto, que levou um ano para ficar pronto. Haron conta que o maior desafio da construção foi dimensionar o projeto de acordo com as medidas do seriado.

“Como não tínhamos as medidas exatas da vila, dimensionamos de acordo com as proporções e medidas do terreno para ficar o mais parecido possível. Fomos adequando de acordo com as decorações e assistimos alguns episódios várias vezes para não perder nenhum detalhe.”

Vila do Chaves

O cenário da construção é inspirada no episódio 118 do seriado, “Ser Pintor É Uma Questão De Talento, parte 1”, em que o personagem Seu Madruga está pintando uma cadeira quando Chaves e Quico começam incomodá-lo. Ao discutir com seu Madruga, Quico bate em seu peito e acaba jogando o pincel para trás, que vem a cair em um vaso de flor.

Wilson contou que o residencial terá três kitnets, que serão alugadas. “Vão ser a casa da dona Florinda, da Bruxa do 71 e do seu Madruga” conta o agrônomo, brincando que “quem entrar na casa do Seu Madruga já estará devendo 14 meses de aluguel.”

A vila também será aberta ao público, e deve funcionar de duas maneiras. Para quem quiser conhecer o cenário, poderá participar da visitação ao local, que será sempre no primeiro sábado de cada mês. “Para a entrada, eu vou cobrar um quilo de alimento, que será doado a instituições de caridade do município.”

O local poderá servir também como cenário para fotos. “Pensei em construir um ambiente que pudesse reunir famílias para passar momentos agradáveis, onde os mais velhos pudessem relembrar seu tempo de infância e que a família pudesse tirar fotos como lembrança. Também vamos alugar para quem quiser usar o espaço como cenário fotográfico”, explicou.

O proprietário dos imóveis contou ainda que o interior das residências não será igual ao do seriado, por uma questão de conforto. Segundo ele, em Chaves, os imóveis tinham uma estrutura que não proporcionam comodidade e praticidade.

Wilson cita como exemplo a porta (número 23) falsa que está sendo construída na casa da Dona Florinda, no segundo andar, também falso. “Tivemos a ideia de fazer uma porta falsa para simular o segundo andar do condomínio, que aparece na sala, mas que na realidade não tem como construir nesse nível.”

A previsão é que o residencial fique pronto ainda este ano, mas segundo o agrônomo, por ser uma obra com padrões diferentes das outras construções, o prazo pode ser alterado. “Eu vou ter que mandar fabricar algumas coisas, como as janelas -- que não são convencionais --, as portas e também os itens de decoração, que não são comuns de encontrar”, explicou.

*Estagiária que escreve sob a supervisão de Adenir Brocco

Classificados