Segurança

Reduzem os incêndios ambientais, mas risco continua

As queimadas em terrenos baldios causam transtornos aos moradores devido à fumaça (Foto: Adenir Brocco)

Apesar de uma grande redução de 15 de junho a 13 de julho deste ano, em relação ao mesmo período do ano passado, aumenta o risco de incêndios ambientas nesta época do ano no Sudoeste. Com isso, o 2º SGBI (Subgrupamento de Bombeiros Independente) de Pato Branco está com a guarnição de sobreaviso e faz um alerta as pessoas para que, ao limpar terrenos baldios, não ateiem fogo na vegetação.

O tenente Reginaldo Aredes, do setor de Comunicação Social do 2º SGBI, disse que neste ano, com o inverno menos rigoroso (poucas geadas), reduziram significativamente os incêndios ambientais, mas o risco vai até meados de setembro. De 15 de junho a 13 de julho deste ano, foram registrados 20 incêndios ambientais nos 15 municípios da microrregião de Pato Branco. No mesmo período do ano passado ocorreram 121, sendo 70 somente em Pato Branco.

Aredes lembra que no ano passado somente em um dia atenderam 17 ocorrências de incêndios ambientais em Pato Branco, principalmente nos bairro Aeroporto e Vila Izabel. Ele afirmou que neste ano a previsão é de inverno menos rigoroso, com tendência da redução de incêndios ambientais.

O tenente Aredes alerta as pessoas para não atearem fogo para limpar os terrenos, sendo essa a causa da maioria dos incêndios ambientais. Além de colocar em risco as residências vizinhas, as queimadas em terrenos baldios causam transtornos aos moradores devido à fumaça, que prejudica ainda mais as pessoas com problemas respiratórios. Ele também orienta os motoristas para não jogar tocos de cigarros acesos às margens das rodovias, pois poderão provocar um grande incêndio ambiental. Além disso, a fumaça prejudica a visibilidade dos condutores e pode provocar graves acidentes.