Pato Branco

Recolhimento de lixo deve voltar ao normal após acordo entre garis e prefeitura

Na terça-feira (12) os garis se reuniram na Câmara com representantes do Legislativo e do Executivo (Foto: Reprodução)

A decisão do Município de Pato Branco de alterar a jornada de trabalho dos garis que efetuam a coleta de lixo gerou descontentamento entre os profissionais e ocasionou o acúmulo de resíduo em alguns bairros desde o último fim de semana. O problema começou quando, através de uma portaria expedida pelo Executivo, ficou determinado o cumprimento de 6 horas diárias de trabalho para esses profissionais.

Para que houvesse diálogo entre as partes, na tarde de terça-feira (12) o Legislativo Municipal promoveu uma reunião com garis, representantes do Executivo e vereadores. O objetivo era permitir que os trabalhadores apresentassem uma planilha de horários de coleta de lixo, além de discutir o assunto e chegar a um consenso.

A reunião foi proposta pelo vereador Rodrigo Correia (PSC), no entanto os vereadores Claudemir Zanco – Biruba (PDT), Fabrício Preis de Mello (PSD) e Marco Pozza (PSD) também assinaram o requerimento.

Douglas Demarchi, representante dos garis, explicou que os profissionais percorrem cerca de 20 quilômetros por dia para dar conta de recolher o lixo depositado pela população, em cada trecho. Já quem recolhe o lixo dos contêineres percorre em torno de 60 quilômetros por dia.

“Dentro desse período proposto pela portaria é humanamente impossível realizar o serviço. Tem o tempo gasto com os preparativos e o deslocamento, sem contar com os imprevistos como chuva, pneu furado, caminhão com problemas, etc, que atrasam o trabalho. Terá dias que pode ser que a gente consiga dar conta de tudo, mas vai ter dias que não, e ai vai acumular lixo e, automaticamente, não vai ficar a contento da população”, explicou.

Portaria

Segundo divulgou a assessoria da Câmara Municipal, a portaria que definiu a jornada de trabalho dos servidores lotados na Secretaria de Meio Ambiente, destaca que a equipe da manhã começa o trabalho às 7h, com saída às 11h, intervalo, entrada às 11h15 e saída às 13h15.

A equipe da tarde entra às 14h, com saída às 18h, intervalo, entrada às 18h15 e saída às 20h15. Já a equipe da noite inicia a coleta do lixo orgânico às 15h40, saída prevista para as 19h40, intervalo, entrada 19h55 e saída às 21h55.

Atualmente, conforme os dados apresentados pelo Executivo trabalham na coleta de lixo orgânico 52 servidores. O investimento com hora-extra é de aproximadamente R$ 34 mil. A proposta que gerou polêmica reduz as horas-extras, bem como, obriga o servidor a usufruir do período de descanso.

Executivo

Após a reunião no Legislativo, na terça-feira (12), uma nova reunião foi agendada para a quarta-feira (13), dessa vez no gabinete municipal, com a presença do prefeito Augustinho Zucchi e da assessoria jurídica do município.

Segundo informou Douglas Demarchi, representantes dos garis, foi feito um acordo com o prefeito que beneficiou ambas as partes. Ele contou que na reunião ficou definido que os garis manterão a jornada de trabalho de 6 horas por dia, porém o intervalo fazer no caminhão, e não mais na unidade onde batem o ponto. Além disso, ganharão uma gratificação de 45% no lugar das horas-extras e terão garantidas horas-extras para quem trabalhar em domingos e feriados.

Para regularizar a situação do recolhimento, Douglas explicou que as equipes estão se organizando para realizar o trabalho, e que aproveitariam a madrugada para isso. Após a reunião, o prefeito Zucchi foi procurado para entrevista, mas não foi encontrado.