Cotidiano

Prefeitura de São Paulo faz ofensiva contra 'favelinha' da cracolândia

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Prefeitura de São Paulo iniciou na manhã desta quarta (29) uma ofensiva contra as barracas de usuários de drogas na cracolândia, na região da Luz, centro da capital paulista. No início da manhã, as barracas foram desmontadas, a área agora será limpa, e os viciados, ao contrário do que ocorre diariamente, não poderão mais reerguer seus abrigos. Esse conjunto de barracas é conhecida como "favelinha". "Não podemos permitir a instalação de barracas que sirvam ao tráfico. Cerca de 30% das barracas servem ao tráfico e nosso objetivo é desmontar todas", afirmou o prefeito Fernando Haddad (PT) nesta manhã. Segundo ele, a ideia da ofensiva iniciada nesta quarta é convencer esses usuários a participarem do programa "De Braços Abertos", que oferece tratamento, hotel e trabalho aos usuários. Muitos viciados resistem a participar do programa por discordarem de regras impostas pela prefeitura, como horários a serem cumpridos. Atualmente, são atendidas entre cem e 150 sem-teto da região da Luz, segundo Haddad. "A prefeitura não tem os meios para combater o tráfico de drogas. Nós temos para atender o dependente químico,oferecer tratamento e trabalho", disse o prefeito. Haddad afirmou ainda que depende da polícia para manter a operação na área. "O congelamento da área depende de uma ação da Polícia Militar e, sobretudo, da Polícia Civil. Ou seja, impedir que o traficante se instale na região", disse. "Eu recebi a visita do secretário [da Segurança Publica], Alexandre de Moraes, e ele falou que pretendia asfixiar o tráfico na região. Para isso, precisamos da presença efetiva da polícia no local, não para reprimir, mas para manter o tráfico afastado", afirmou. Segundo o prefeito, existe uma população flutuante que não é de São Paulo, que só vem para a região em busca da droga fácil. Essa população tem casa ou vem de outros municípios.
Classificados