Mundo

Pelosi tenta unir democratas em meio a divergências sobre questão imigratória

A presidente da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, a democrata Nancy Pelosi (Califórnia), disse nesta segunda-feira que os congressistas devem aprovar uma lei que amenize as "condições repugnantes" enfrentadas por crianças detidas na fronteira sul do país. Em uma carta a deputados, que retornam do recesso do feriado do Dia da Independência nesta terça-feira, Pelosi afirmou que os democratas devem liderar "um grito de guerra em toda a América para proteger as crianças".

Antes do recesso do Congresso, os legisladores usaram manobras para aprovar um projeto de lei de US$ 4,6 bilhões que o presidente americano, Donald Trump, sancionou. A medida, contudo, deixou feridas entre os democratas moderados e os mais liberais, com muitos parlamentares progressistas e hispânicos se posicionando contra a proposta, ao apontarem que a medida precisava de padrões rígidos de atenção às crianças.

Embora a carta de Pelosi não prometesse concretamente nenhuma ação em qualquer projeto de lei em particular, ela destacou várias medidas que os democrata liberais e hispânicos apoiam, como a proibição da separação de famílias de imigrantes ilegais, a menos que seja com a intenção de proteger as crianças, e a limitação de tempo para que crianças desacompanhadas sejam mantidas em instalações temporárias, muitas das quais já estão superlotadas.

A carta de Pelosi vem em meio ao aumento das tensões internas entre os deputados democratas. Antes do recesso, muitos liberais e membros hispânicos expressaram desgostos contra alguns dos membros moderados do partido, como Pelosi, depois que a presidente da Câmara colocou em votação o projeto de lei de autoria republicana, que foi aprovado. Fonte: Associated Press.

Classificados