Não informado

Pato-branquense Sandro Pallaoro entre as vítimas do acidente aéreo

Entre as 76 vítimas estão o presidente da Chapecoense, o pato-branquense Sandro Pallaoro, e o técnico Caio Junior, sendo que sua mãe, Geni, e sua irmã moram em Pato Branco. Sandro era jogador de futsal e em 1990 fez parte da equipe do Grêmio Industrial Patobranquense que foi campeã paranaense.  No ano passado os atletas se reuniram em São Lourenço do Oeste (SC) para comemorar os 25 anos do título.

Já o técnico Caio Junior vinha com frequência a Pato Branco visitar a sua mãe. No mês de setembro ele fez uma visita ao Diário do Sudoeste, quando foi entrevistado e tinha por objetivo levar a Chapecoense a sua melhor campanha da história no Campeonato Brasileiro, além de uma boa campanha na Copa Sul-Americana. A equipe vinha atingindo os objetivos e chegou à final da Sul-Americana, mas quando estava indo disputar o primeiro jogo da decisão aconteceu o acidente aéreo, sendo uma das maiores tragédias da história envolvendo equipes de futebol.

Sirli Freitas / Agência RBS
Presidente da Chapecoense, Sandro Pallaoro

Já entre os sobreviventes está o zagueiro Neto, que começou sua carreira no Francisco Beltrão e teve passagem pelo Santos. Ele foi o último a ser resgatado.

O clima é de muita tristeza em Pato Branco, onde residem os familiares de Sandro Pallaoro e Caio Junior, bem como da região, pois os jornalistas J.Biavatti e Douglas Dorneles, ambos trabalharam na Rádio Voz do Sudoeste, em Coronel Vivida.

Corpos

A jornalista Marcilei Rossi do Diário do Sudoeste está na Arena Condá, onde foi informada de que médicos legistas de Chapecó (SC) e de São Paulo (SP) vão para a Colômbia ajudar identificar os corpos de jogadores da Chapecoense, dirigentes e jornalistas, que morreram no acidente aéreo. Familiares das vítimas também irão para identificar e liberar os corpos. Já um avião da FAB (Força Aérea Brasileira) deverá seguir nesta quarta-feira (30) buscar os corpos das vítimas na Colômbia.

Classificados