Entrevista

‘Paraná vai investir R$ 6,8 bi em 2016’

‘Trabalho, competência e dedicação elevaram o Paraná à quarta economia do Brasil’, diz Beto Richa

Divulgação
O governador Beto Richa diz que há muito que falar do Paraná quando a economia atinge o quarto PIB nacional, a sexta renda per capita brasileira e a avaliação do The Economist lhe garante o status do segundo Estado mais competitivo do País. “Isso mostra que os novos conceitos de administração adotados pelo Paraná deram, de fato, um resultado muito positivo”, disse Richa.

Como um dos exemplos que induziu a economia do Estado ao novo ciclo de desenvolvimento, Richa citou o programa Paraná Competitivo. “O Paraná vive o maior ciclo industrial de sua história, mais de R$ 40,3 bilhões de investimentos que geraram 100 mil empregos em todas as regiões do Estado”, disse.

Segundo Richa, o Estado também fez sua parte reduzindo custos, gastos e enxugando a máquina pública. “No ano que vem, quando todos estiverem com o pé no freio, com dificuldades de governar, no Paraná vamos pisar fundo no acelerador”, disse ao prever R$ 6,8 bilhões de investimentos em obras em todos os municípios do Estado. Leia a seguir a entrevista completa com o governador do Paraná.

Segundo o IBGE, o Paraná já é a quarta economia do Brasil, atrás apenas de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro. O Paraná ultrapassou o Rio Grande do Sul pela primeira vez na história. Quais políticas públicas e diretrizes de governo permitiram esse resultado?

Beto Richa - Até 2010, o Produto Interno Bruto, o PIB, que é a soma de todas as riquezas produzidas no Paraná, ficava abaixo do PIB nacional e da média nacional. Eu não podia aceitar uma situação como esta. Desde que assumi o governo, em 2011, passamos a trabalhar duro e resgatar a confiança dos investidores no Paraná, com o diálogo, boas políticas públicas e programas de qualidade. Assim, conseguimos mudar a realidade do Estado. Desde então, ano a ano houve crescimento do PIB e da economia paranaense acima da média nacional. Agora chegamos a esta conclusão, depois de um estudo criterioso do IBGE, que o Paraná assume uma posição histórica. É inédito o Estado ocupar quarto lugar na economia nacional. Ficamos felizes e cumprimentamos todos os paranaenses, porque essa conquista é de todos.

Quais os programas que contribuíram para essa elevação?

Beto Richa - Um deles é o Paraná Competitivo, de incentivos fiscais para atrair indústrias nacionais e internacionais ao Estado. Podemos comemorar. O Paraná vive o maior ciclo industrial de sua história, mais de R$ 40,3 bilhões de investimentos privados e estatais que geraram 100 mil empregos em todas as regiões do Estado. No começo deste ano, o IBGE também apontou que o Paraná teve um crescimento na produção industrial, ao passo que os demais Estados tiveram decréscimo. Também ficamos nas primeiras posições na criação de empregos com carteira assinada, segundo o Ministério do Trabalho.

O The Economist apontou o Paraná como o segundo Estado mais competitivo do Brasil, atrás apenas de São Paulo. Como explicamos estes dados?

Beto Richa - São dois institutos respeitados mundialmente que atestam esses dados. O IBGE, apontando o Paraná como a quarta economia e o The Economist, reconhecendo que é o segundo Estado mais competitivo do Brasil. Este segundo lugar tem um gostinho de primeiro, afinal todos reconhecem que São Paulo é o hors concours, um Estado com a força de um País. Isso mostra que os novos conceitos de administração adotados pelo Paraná deram, de fato, um resultado muito positivo. Este segundo lugar foi apontado depois de uma avaliação muito criteriosa, que analisa a governança, as políticas públicas, os investimentos em educação, saúde, segurança, infraestrutura, empresas públicas, combate à corrupção. Eu, particularmente, fico muito feliz porque trabalhamos com dedicação e esforço, com uma equipe de pessoas capacitadas. O reconhecimento é uma sinalização clara de que nós estamos no caminho certo. Agora é caminhar a passos mais largos e firmes para garantir crescimento ao Paraná com qualidade de vida. É importante destacar que não somos uma ilha dentro deste cenário de dificuldades e incertezas do Brasil. Vivemos uma profunda crise financeira nacional. Mas trabalhamos ainda mais para que o Paraná seja protegido dos efeitos nefastos da crise nacional.

Outro dado importante é que o Paraná já é o segundo Estado com redução na desigualdade. Já estamos “colados” em Santa Catarina. Isso também mostra que as políticas públicas foram e vem sendo acertadas?

Beto Richa - Não existe um instrumento mais eficaz de combate à desigualdade social do que uma gestão pública de qualidade, com bons projetos, planejamento e correta aplicação dos recursos públicos. É o que nós fazemos. Nenhuma administração se justifica se não produzir ações que melhorem a vida das pessoas, principalmente a dos que mais precisam do poder público para ter melhores condições. Tenho uma boa experiência no período em que fui prefeito de Curitiba.

O ajuste fiscal surtiu efeito?

Beto Richa - O resultado do ajuste fiscal teve um resultado mais do que esperado, o que inclusive ajudou os municípios aumentando suas receitas em cerca de 20%, enquanto no Brasil inteiro as prefeituras estão com muita dificuldade, inclusive para pagar a folha dos seus servidores e nós aqui estamos ajudando os nossos municípios. Encaminhei para a Assembleia Legislativa o orçamento para 2016 com uma previsão histórica de investimentos de R$ 6,8 bilhões. No ano que vem, quando todos estiverem com o pé no freio, com dificuldades de governar, no Paraná vamos pisar fundo no acelerador e garantir um crescimento ainda mais e mais vigoroso ao Estado e qualidade de vida a todas as famílias paranaenses.

Classificados