Pato Branco

Palestra sobre abuso infantil reúne policiais militares e bombeiros

Mais de 100 policiais militares e bombeiros de 16 municípios participaram do encontro em PB (Foto: Assessoria/PMPB)

Nesta terça-feira (12), profissionais da secretaria de Assistência Social se reuniram com o efetivo da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros de 16 municípios da região. O evento aconteceu no Sesc em Pato Branco, e teve como foco os casos relacionados ao abuso sexual e violência contra crianças e adolescentes.

Mais de 100 policiais militares e bombeiros de 16 municípios participaram do encontro em PB

Segundo Luciana, do Creas (Centro de Referência Especializado de Assistência Social), a iniciativa de reunir a rede de proteção foi do 3ª Batalhão de Polícia Militar. “Explicamos como funciona o atendimento no Creas, e como os casos chegam até nós. Mais do que isso, trocamos experiências com os policiais e bombeiros, diante de uma questão que ainda gerava muitas dúvidas: como proceder no primeiro atendimento às vítimas?”.

No dia a dia da corporação, é comum se deparar com casos de abuso sexual e violência infantil. O grande gargalo era como abordar e direcioná-los ao atendimento mais adequado. Segundo Luciana, durante a palestra, foram debatidas as melhores maneiras de se aproximar das crianças que são vítimas, como abordá-las, e mais, para onde encaminhá-las. “Os policiais nos pediram inclusive, se o ideal era ouvir a criança no momento da abordagem ou não, e foi neste sentido que os esclarecimentos e apoio foram dados. No primeiro momento, em caso de abuso sexual, os policiais são chamados, e é importante saber como agir, f fortalecendo a rede de proteção infantil como um todo”, enfatizou.

Outra orientação repassada aos participantes foi de não ouvir o relato da criança quando o agressor foi um familiar, ou alguém próximo. Isso porque, segundo Luciana, pode expor o menor e ainda colocá-lo em maior risco. “Saber o melhor modo de agir é importante, assim é possível fortalece ainda mais a rede e combater a violência contra crianças e adolescentes.”

Também se debateu o bom uso do fluxo de atendimento e como registrar os dados. Os policiais precisam preencher a ficha Sinan (Sistema de Informação de Agravos de Notificação), para que possa ser feito diagnósticos dos casos registrados em cada região de Pato Branco. “Com os dados podemos monitorar e melhorar o atendimento e as ações. De modo geral, o evento alcançou seu objetivo e foi uma tarde muito produtiva, com troca de experiências.”

O encontro foi promovido pelo município de Pato Branco, por meio da secretaria de Assistência Social. A secretária Anne Cristine Gomes da Silva agradeceu a participação da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros, e reforçou que abordagens como essa são de extrema relevância, especialmente quando se trata de violência infantil.