Pato Branco

Pai do pequeno Gabriel será seu doador e transplante acontece nesta sexta

O pequeno Gabriel dos Santos Musseline, 4 anos, reside em Pato Branco e foi diagnosticado com aplasia da medula óssea, também conhecida como aplasia medular – se trata de uma falha medular na produção de células sanguíneas, caracterizada por anemia e plaquetopenia. O tratamento objetiva reconstituir a medula óssea, e a terapia mais eficaz é o transplante de medula óssea, nos casos de pacientes que encontram um doador compatível.

Para ajudar Gabriel, moradores de Pato Branco e toda a região se mobilizaram e criaram uma grupo pela rede social, chamado de “Juntos pelo Gabriel”. Por meio da página no facebook e dos milhares de engajamentos, o pequeno e sua família conseguiu mobilizar a sociedade para a importância da doação de medula óssea e de sangue.

O Diário do Sudoeste acompanha a trajetória de Gabriel e descobriu que nesta quinta-feira (22), o menino será submetido ao tão esperado transplante de medula, no Hospital das Clínicas em Curitiba. Rodrigo Martinello Musseline, pai de Gabriel, será o doador. “Vamos fazer um transplante haploidêntico, ou seja, 50% de compatibilidade”, contou à reportagem.

Segundo o pai, no caso da doença diagnosticada em Gabriel, somente um transplante pode curá-lo. Os medicamentos, que servem para incentivar a medula a fabricar as plaquetas e defesas, infelizmente, não surtiram efeito. “Como ele está quase semanalmente fazendo transfusão, optaram em fazer o transplante haploidêntico, de pai para filho”.

Para Rodrigo, a campanha de Gabriel fez com que muitas pessoas se tornassem doações, e conhecessem de perto a importância deste ano. “É muito importante que as pessoas se conscientizem do cadastro e da doação da medula. Há várias crianças na fila, e é muito triste, pois muitas não aguentam o tempo de encontrar o doador compatível.”

Em qualquer hemonúcleo, as pessoas podem se tornar doadores. No local será coletado o sangue que irá ao cadastro geral de medula (Redome), disponível em nível nacional. Quem já é doador de medula óssea não precisa captar o sangue novamente, mas tem que estar com o cadastro atualizado para acelerar o processo de busca. Para fazer a doação de medula óssea, que consiste na captação de 5 ml de sangue, a pessoa precisa ter entre 18 e 60 anos. Além disso, o indivíduo pode ser voluntário também para a doação de sangue, ajudando a manter o estoque no Hemepar, que direciona para outros municípios.

Classificados