Pato Branco

Oldemar de Lima: “A associação sempre foi e é tudo para mim”

Seu Lima está se recuperando de graves problemas de saúde, e voluntários organizam macarronada com galeto para arrecadar recursos em benefício da associação de proteção aos animais
Seu Lima está se recuperando de graves problemas de saúde, e voluntários organizam macarronada com galeto para arrecadar recursos em benefício da associação de proteção aos animais (Foto: Helmuth Kühl)

Depois de passar 15 dias em coma, Oldemar de Lima, o conhecido seu Lima da Associação de Proteção aos Animais em Pato Branco, voltou para casa. Nessa sexta-feira (13), ainda debilitado, ele recebeu a equipe do Diário do Sudoeste na associação, localizada na comunidade de Fazenda da Barra.

Na associação, junto dos animais, seu Lima se recupera aos poucos de grave problema de saúde.

Sentado em uma cadeira, com os animais por perto, seu Lima contou à reportagem como chegou ao hospital naquele dia. “Senti umas ferroadas, como se fosse dar uma pequena crise de rim. Fui para o São Lucas e depois que internei, não vi mais nada”. Ele estava com uma infecção na bexiga desde o início de janeiro, que se agravou e o fez ficar entre a vida e a morte.

E dos dias que permaneceu inconsciente, o protetor dos animais disse ter “gravado na memória passagens que ficaram em sua cabeça, e que para mim, foram realidade”. “Imagine que eu trabalhei de Pato Branco até São Paulo distribuindo alimentos e medicamentos para os pobres. E também vi um casal de veterinários que me ajudou e, graças a eles, vivi novamente. Foram visões do coma.”

Associação

Atualmente, a associação abriga 100 cães e 70 gatos- alguns estão doentes e precisam de tratamento especial. Além disso, há os três macacos e as galinhas. Os gastos com a manutenção do local e dos animais são altos, e por muito tempo, seu Lima está com as contas no vermelho. “Estou com dívidas, e para ajudar a colocar a casa em ordem, seria necessário ao menos R$ 15 mil.”

Para ajudar, um grupo de pessoas voluntárias encabeçado por Mari Cola, presidente da União dos Bairros, em parceria com a secretaria de Meio Ambiente, se uniu e organiza a Macarronada com Galeto em benefício da Associação. O evento será no dia 5 de maio, um sábado, às 20h no Pavilhão dos Ucranianos. Quem quiser retirar a macarronada, será servida a partir das 19h; é preciso levar vasilhas. Crianças até sete anos não pagam.

Gratidão

Emocionado, seu Lima repetiu por várias vezes a palavra “agradecer” durante a entrevista. Disse que o pensamento positivo e as orações de todos o ajudaram a melhorar e a continuar vivendo. Mas fez questão de elencar pessoas especiais, que segundo ele, merecem o reconhecimento público: “Minha funcionária Roseli Lopes, que assumiu a associação todas as vezes que passei mal, cuidando dos animais; minha esposa Elena Maria, que sofreu comigo e me acompanhou durante todos esses dias e durante a vida toda, nas piores horas; por fim, Tatiane Trevisan e Luciana Pozza, que assim que fui internado, correram ao hospital e permaneceram no local até minha alta, sempre assessorando em tudo, inclusive na associação. Em nome dessas pessoas quero agradecer toda a sociedade que me apoiou”. O protetor citou ainda o Grupo Guerra, sempre a postos a apoiar a causa.

Depois de chegar tão próximo da morte, seu Lima tem a certeza que deve continuar com sua missão. E que há muito mais a ser feito em benefício dos anjos de quatro patas. “Eles precisam de alguém que fale por eles, e que os entendam. A associação sempre foi e é tudo para mim.”