Pato Branco

Observatório Social de Pato Branco promove ações educacionais de combate à corrupção

Observatório Social do Brasil realizou evento para fortalecer implantação do Projeto “Semana da Transparência e do Combate à Corrupção” (Foto: Assessoria)

O Brasil perde anualmente cerca de R$ 200 bilhões com a corrupção, conforme apontamentos do Ministério Público Federal. A Europa foi reerguida após a 2ª Guerra Mundial a um custo, em valores atuais, de cerca de R$ 300 bilhões. A corrupção corrói cerca de 2,3% do PIB (Produto Interno Bruto) nacional anualmente.

Tal realidade levou o Observatório Social do Brasil a disseminar a necessidade da implantação do Projeto “Semana da Transparência e do Combate à Corrupção” que foi adotado pelo Observatório do Pato Branco, em parceria com Secretaria Municipal de Educação, UTFPR, Companhia Pegasus de Teatro, NEJ, Planta Garden, Rotary Internacional, Sindimetal Sudoeste, Fiep, Aramart, Atlas Eletrodomésticos, IRDES, Viasoft, Usiplast, Ortec Contabilidade, VMT Terraplanagem, Tramontini Ferramentaria, Sicredi, Maçonaria e Associação Comercial e Empresarial de Pato Branco.

As atividades se intensificarão entre dias 14 e 19 de maio, devendo ter sequência nos meses subsequentes com atividades complementares de conscientização cidadã.

Inicialmente, com o apoio da secretária de Educação, Heloí Aparecida De Carli o Observatório Social e parceiros chegarão a cerca de 470 alunos da Rede Pública Municipal. Quantidade que será ampliada com ações junto à comunidade em geral e com visitações a alunos das redes Estadual e Particular de Ensino.

Luiz Afonso Wan-Dall, presidente do Observatório Pato Branco conta que haverá um concurso de redação e desenhos evidenciando os efeitos da corrupção em nossas vidas. “Serão premiados os melhores trabalhos”, conta ele ressaltando que todos serão submetidos a avaliação de alunos e professores do Curso de Letras da UTFPR.

Antes do concurso de redação acontecerão apresentações de peça teatral da Companhia Pegasus que contará os preparativos de um político para a visita de um governador e uma série de atitudes que pecam na boa condução da aplicação do dinheiro público.

Nesta quinta-feira (17), as ações acontecem no Colégio Estadual La Salle. No dia 19 de maio, das 8 às 12 horas, na praça presidente Vargas, o Observatório estará com o Núcleo do Empreendedor Jovem (NEJ), de Pato Branco difundindo orientações sobre corrupção e apoiando no Projeto Feirão do Imposto que mostra o peso da tributação na vida de cada cidadão. O Feirão foi criado em 2003 sendo um sucesso na conscientização da população quanto ao peso dos impostos em sua vida. Tanto que conseguiu a implantação da Lei 12.741 (Lei da Transparência) que institui a discriminação de impostos nas notas e cupons fiscais e da Lei 12.839 que estabeleceu a retirada de impostos federais que incidem sobre a cesta básica.

Wan Dall explica que “o Observatório Social de Pato Branco não existe para fazer alardes. Mas para agir, pontualmente, sobre alguns problemas na gestão de recursos públicos, priorizando a orientação e, também, a formação de uma nova consciência coletiva através da Educação. Agindo sobre as novas gerações faremos, gradativamente, com que aquilo que era considerado normal vá, gradativamente, sendo entendido como falho e, por que não dizer: ato de corrupção. Havendo consciência mais fácil prevenir e cobrar. E a ação vigilante não deve ser de uma entidade, mas da sociedade como um todo.”

Classificados