Pato Branco

“Não vejo dificuldades para que regulação do Samu fique em Pato Branco”, afirma Guto Silva

Com aval do governador Ratinho Junior, chefe da Casa Civil confirma reunião entre Sesa e comitiva da região, na próxima semana, para tratar sobre o assunto
O governador Ratinho Junior e o chefe da Casa Civil, Guto Silva, estiveram em Pato Branco na quinta-feira (10) (Foto: Assessoria)

O secretário chefe da Casa Civil, do governo do Paraná, Guto Silva, esteve em Pato Branco nessa quinta-feira (10) para a cerimônia de inauguração do Aeroporto Municipal Juvenal Loureiro Cardoso, e falou sobre assuntos relevantes para o município e para a região.

Na oportunidade, Guto confirmou que uma reunião está agendada para os próximos dias, para tratar sobre a decisão do antigo governo de passar a Central de Regulação do Samu 192 Sudoeste, de Pato Branco para Cascavel, onde é a sede da Macrorregião Oeste. Vale lembrar que a regulação de Pato Branco engloba os 42 municípios das microrregiões de Pato Branco e Francisco Beltrão, pertencentes às 7ª e 8ª Regionais de Saúde, respectivamente.

Essa centralização também levará para Cascavel outras centrais de regulação do Samu: a de Toledo e a de Foz do Iguaçu. Isso fará com que a macrorregião de Cascavel passe a regular todas as ocorrências do Sudoeste e do Noroeste do Estado, acionadas pelo 192, em um universo de mais de 2 milhões de habitantes, além de regular também a central de leitos em toda essa extensão, podendo encaminhar pacientes para leitos de UTI em hospitais das microrregiões que farão parte da macrorregião. Informações extraoficiais apontam que, segundo determinação do governo anterior, a mudança está prevista para ocorrer na madrugada do dia 5 de fevereiro.

Novidades

Na quinta-feira (10) Guto Silva revelou que o novo diretor geral da Secretaria Estadual de Saúde do Paraná (Sesa), Nestor Werner Junior – que foi chefe da 7ª Regional de Saúde de Pato Branco e conhece bem a realidade do Samu – participará da reunião.

“Foi encaminhado a ele que receba a comitiva da Secretaria de Saúde e estude esse modelo para que se ache uma solução. Nestor conhece bem a realidade, o governador Ratinho já falou que é para solucionar o problema, então vejo que não teremos nenhum tipo de dificuldades para a manutenção do Samu em Pato Branco”, frisou.

“Estamos organizando desde que assumi o governo. Os secretários estão se inteirando sobre tudo, em suas áreas, para fazer um planejamento e apresentar as propostas regionais”, explicou o governador Ratinho Junior, na ocasião da inauguração do aeroporto de Pato Branco, na quinta-feira (10). Ele frisou que a permanência da Central de Regulação do Samu em Pato Branco está sendo estudada.

O presidente da Associação dos Municípios do Sudoeste do Paraná (Amsop) e prefeito de Saudade do Iguaçu, Mauro Cenci, destacou, na mesma oportunidade, que na última assembleia o prefeito de Dois Vizinhos, Raul Isotton, foi reeleito presidente do Consórcio Intermunicipal da Rede de Urgências do Sudoeste (Ciruspar), que administra o Samu Sudoeste. Cenci afirmou que a regulação ficará em Pato Branco.

“Antes, tudo o que foi falado sobre essa macrorregião, inclusive o que saiu na imprensa, era somente uma ideia, não tinha nada definido. Porém, hoje vemos a realidade do Samu. Fica como está. Não se mexe em nada. A regulação do Samu vai ficar na nossa região. Quando foi pensada a transferência, foi levada em consideração a questão organizacional da gestão do Samu. Hoje, conversando com o presidente Raul, toda a central reguladora fica como está, permanece em Pato Branco. O que nós temos de concreto hoje é a permanência da Central de Regulação do Samu em Pato Branco”, enfatizou.

Audiência pública

Contrárias à decisão do antigo governo do Estado – que teve por base um debate de cerca de dois anos com os secretários municipais de Saúde de todo o Estado e que resultou em aprovação em assembleia –, autoridades de Pato Branco realizaram no início de dezembro uma audiência pública sobre o assunto.

Na audiência, o presidente do Consórcio Intermunicipal da Rede de Urgências do Sudoeste (Ciruspar) e prefeito de Dois Vizinhos, Raul Isotton, explicou que o processo de transferência que está em andamento foi aprovado pelos prefeitos por causa da situação econômica ruim, mas que atualmente a estrutura do Samu apresenta condições financeiras estáveis, já que o Estado aumentou o repasse de recursos.

Diante do quadro, ele se posicionou contrário ao processo de mudança. “Os prefeitos devem analisar muito bem o processo que está em andamento, observando quais as vantagens e prejuízos”, pontuou Isotton, acrescentado que “ações devem estar focadas na defesa do Sudoeste”.

Também se manifestaram o vice-presidente do Conselho Estatual dos Secretários de Saúde do Paraná (Cosems), Ivoliciano Leonarchik; o representando do Sindicato dos Médicos do Paraná, Ricardo Martins; a secretária municipal de Saúde de Pato Branco, Marcia Fernandes de Carvalho; além dos vereadores que protestaram pela falta de transparência e de debate com a sociedade, nesse processo de mudança; e outras lideranças presentes.

Para impedir a transferência da Central de Regulação do Samu 192 Sudoeste para Cascavel, lideranças estão se mobilizando para que seja criada a 6ª Macrorregião, em Pato Branco, que contemplará as regionais de Pato Branco (7ª RS) e Francisco Beltrão (8ª RS).

A possibilidade foi sinalizada pelo governador Ratinho Junior no ano passado, ainda em campanha, antes de ser eleito, que destacou a probabilidade de se criar também a 5ª Macrorregião, em Guarapuava.

Classificados