Região

Manutenção de zonas eleitorais será discutida pela Amsop

Em recente reunião da Associação dos Municípios do Paraná, o tema também foi debatido (Foto: Divulgação)

O principal tema da próxima assembleia da Amsop (Associação dos Municípios do Sudoeste do Paraná), marcada para a quinta-feira (27), será a manutenção de zonas eleitorais que podem ser fechadas na região.

A entidade está mobilizada através de prefeitos junto com juízes eleitorais e vereadores para reverter uma decisão do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) que pedia o fechamento de zonas eleitorais consideradas inviáveis devido a densidade demográfica.

A Amsop vem encabeçando mobilizações desde maio para que as zonas eleitorais sejam mantidas e nesta semana o tema foi discutido na reunião da AMP (Associação dos Municípios do Paraná). “O sistema eleitoral brasileiro está passando por um processo de modernização com o cadastramento biométrico e há uma série de procedimentos que precisam ser feitos nos fóruns e cartórios eleitorais tanto por parte de eleitores quanto por candidatos; reduzir o número de zonas eleitorais vai prejudicar toda a população destes municípios, que terão que deslocar até outras cidades”, argumenta o presidente da Amsop e vice da AMP, Frank Schiavini.

Pala proposição, no Sudoeste a previsão é de extinção das zonas eleitorais de Coronel Vivida, Chopinzinho, São João, Mangueirinha, Santo Antônio do Sudoeste, Capanema, Salto do Lontra e Clevelândia, além de Marmeleiro. Nestes municípios, as zonas eleitorais serão incorporadas em outras cidades, de acordo com o número de habitantes e eleitores.