Região

Jovens aprendizes realizam visita técnica

["Estudantes conheceram modelos de m\u00e1quinas agr\u00edcolas"] (Foto: Helmuth Kühl/Diário do Sudoeste)

Na tarde da última segunda-feira (20), alunos do curso Jovem Agricultor Aprendiz ministrado na cidade de São João realizaram uma visita técnica na empresa Taisa, unidade de Pato Branco, revendedora de máquinas agrícolas New Holland. O objetivo da visita foi conhecer os equipamentos e as novas tecnologias disponíveis no mercado neste segmento.

De acordo com a mobilizadora Pamela de Lima Panho, o curso é oferecido gratuitamente pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) e Federação da Agricultura do Estado do Paraná (Faep), em várias cidades do Paraná. Em São João, a iniciativa é realizada em parceria com o Sindicato Rural.

As aulas são ofertadas no período de contra turno a alunos do Ensino Médio da Escola Estadual Tancredo Neves e Colégio Estadual do Campo São Luis. Ao todo, cerca de 20 estudantes participam do curso, todos membros de famílias de agricultores. 

Pamela explica que o principal objetivo do projeto é preservar a sucessão familiar, pois os efeitos do êxodo rural são significativos em municípios menores, como São João, onde grande parte da economia está ligada ao agronegócio, sobretudo a agricultura familiar. “O curso é para mostrar aos jovens que é possível viver no campo, que há tecnologias na agricultura, que é possível obter lucro de uma propriedade, até maior do que a renda de um emprego na cidade”, completa a mobilizadora.

O grupo que visitou a Taisa na segunda-feira integra um módulo do curso voltado especificamente para a mecanização. De acordo com Edson Zuchi, instrutor do Senar, os treinamentos envolvem o estudo de colhedoras, equipamentos e tratores. 

Ele acrescenta que as máquinas dispõem cada vez mais de recursos eletrônicos, como por exemplo no segmento de agricultura de precisão. “No campo muitas vezes nós não temos esse equipamento, e por isso nós contamos com os parceiros”, comentou Zuchi, sobre a visita à empresa.

Para Eber Claudio, gerente comercial da Taisa, abrir espaço para a visita de jovens aprendizes é uma forma de contribuir para o desenvolvimento da agricultura, por meio do estímulo a permanência no campo. “Hoje o que rege a nossa economia é o agronegócio, e os agricultores de amanhã são os jovens de hoje”, completou.

Eber também acredita que parcerias dessa natureza também contribuem para a especialização da mão de obra no campo. “Na época de plantio e colheita, 70% das chamadas para manutenção em máquinas poderiam ser resolvidas com um pouquinho mais de conhecimento do operador”, cita Eber, usando um exemplo para ilustrar a importância da qualificação e do aperfeiçoamento.

Classificados