Economia

Instabilidade marca pregão do Ibovespa, que toca os 93 mil pontos

O Ibovespa tocou nesta sexta-feira, 24, na faixa dos 93 mil pontos, refletindo o enfraquecimento das bolsas norte-americanas após dados de bens duráveis mais fracos que o esperado. Perto do meio-dia, o principal índice da B3 passou a cair, -0,03%, aos 93.881,55 pontos, depois de ficar toda a manhã em alta, atingindo a máxima aos 94.899,52 pontos.

"Não há notícia interna. Como lá fora o mercado acionário perdeu força, o Ibovespa acompanhou", diz um operador.

Lá fora, as bolsas diminuíram o ritmo de alta após dados mais fracos dos EUA, levando o JPMorgan a reduzir a projeção de crescimento do PIB americano de 2,25% para 1,0%, no segundo trimestre anualizado.

Após dois pregões seguidos de baixa, a expectativa ainda é que o Ibovespa termine no positivo, mas sem empolgação. Investidores continuam atentos a qualquer informação nesta seara, lembrando que no domingo estão programadas manifestações pró-governo no País, que podem ser um termômetro importante para o mercado.

Além disso, os investidores vão avaliar a entrevista concedida à revista Veja pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, na qual diz que, se os parlamentares aprovarem algo que represente uma economia menor que R$ 800 bilhões, não há a menor possibilidade de lançar uma nova Previdência e há chances dele deixar o governo.

"Ainda é cedo para fazer qualquer avaliação, mas claro que essa informação sobre o Guedes não deve ajudar", diz uma fonte. "Se não passar algo consistente mesmo com ou sem o ministro será ruim. Porém, por ora, não acredito que seja um grande divisor de águas", completa o analista.

Classificados