Região

IAP recebe denúncia de lixo em local irregular no interior de Mariópolis

Fiscalização feita nesta terça-feira (Foto: Helmuth Kühl)

Nos últimos dias, o Escritório Regional de Pato Branco do Instituto Ambiental do Paraná (IAP) recebeu uma denúncia anônima de que, no interior do município de Mariópolis, havia uma quantidade expressiva de lixo, depositada em local irregular.

Com isso, na tarde desta terça-feira (15), uma equipe esteve no local, situado numa propriedade privada, próximo à estrada de acesso à Capela São Dimas, cerca de 300 metros da PR-280, a fim de verificar se de fato procedia a denúncia.

O Diário do Sudoeste também esteve no local, no qual de fato havia grande quantidade de resíduos descartados. Conforme o agente fiscal do IAP Pato Branco, Ermes José Chioquetta, pelo que foi constatado, “o lixo é bem antigo; têm coisas de dez anos que estão lá. Então não conseguimos nada que identificasse a origem desse material. Pelo visto foram várias pessoas que jogaram esses resíduos no local”, informou.

Na ocasião, o fiscal conversou com o responsável pelo imóvel. “A orientação que deixei com o responsável, que arrendou o imóvel, é que providenciem o recolhimento, porque a maior parte desse material é reciclável. É importante destacar que, até o momento, tanto a proprietária do local, como o arrendatário, não tinham ciência desse material”.

Ele, ainda, completou: “havia um pinheiro no local, que secou. Os responsáveis pelo imóvel foram até o IAP solicitar autorização de retirada do pinheiro. Com isso, constatou-se esse lixo no local”.

Chioquetta, também, disse que são vários tubos de imagem, lixo doméstico, materiais de chapeação e mecânica, galões de óleo, e até fraldas descartáveis. “Entre 70 a 80% desses lixos, inclusive, são eletroeletrônicos”, observou, acrescentando que o material encheria uma caçamba de porte médio.

Conforme o fiscal, é importante enfatizar que há constantes campanhas na região, com relação ao lixo reciclável e os lixos eletrônicos. “Enquanto o pessoal carrega aos locais impróprios, por que não levar o material aos pontos de recolhimento?”, questionou.

Chioquetta lembra que, caso haja outros casos semelhantes, que a população entre em contato com o IAP para denunciar. “O ideal é que, se o pessoal vir alguém fazendo isso, que seja registrado com foto, identificando pelo menos a placa do veículo. Com isso, conseguimos chegar até o responsável”.

As denúncias podem ser feitas de forma anônima. Mais informações por meio do telefone (46) 3225-3837.

Classificados