Pato Branco

“Faça Bonito” reforça ações de combate ao abuso e exploração sexual infanto-juvenil

Em Pato Branco, nos primeiros quatro meses deste ano, o fluxo de atendimento registrou 121 notificações de violência contra crianças e adolescentes. A campanha começou nas escolas e nesta sexta-feira (18), haverá mobilização na Praça Presidente Vargas e palestra, com mesa-redonda, à noite, na Fadep
Rede de proteção se mobiliza para campanha Faça Bonito em Pato Branco (Foto: Milena Chaise)

No ano em que completa 18 anos, o 18 de maio, conhecido pela campanha “Faça Bonito”, volta a acender na população de todo o país um debate importante: o combate ao abuso e exploração sexual infanto-juvenil. O objetivo da data nacional é manter viva na sociedade a responsabilidade quanto ao enfrentamento das violências a crianças e adolescentes, bem como a garantia da manutenção dos direitos. Crianças não devem engolir o choro da violência, e tampouco as pessoas fecharem os olhos.

Rede de proteção se mobiliza para campanha Faça Bonito em Pato Branco

Sempre é hora de fazer bonito, e em Pato Branco, as ações da campanha, desenvolvidas por meio da secretaria de Assistência Social, com apoio das instituições que formam a rede de proteção e atendimento, iniciaram nesta semana. Segundo a secretária Anne Cristine Gomes da Silva, os atos começaram nas escolas. “Estamos trabalhando diretamente com as crianças de forma lúdica, por meio da apresentação de um teatro, em parceria com a Comunidade Cristã. Queremos manter aquele contato com os alunos para que saibam perceber o que é o abuso, possam se proteger e pedir ajuda.”

A programação segue nesta sexta-feira, dia 18, às 13h, no anfiteatro da Fadep. Na ocasião, profissionais e representantes do poder judiciário farão parte de uma mesa redonda, com o tema “Desafios para a Rede de Atendimento na Busca de Garantias dos Direitos de Crianças e Adolescentes em Situação de Violência”.

Os palestrantes serão: Franciele Estela Albergoni de Souza Vairich, juíza da Vara da Infância e Juventude; Raphael A. Soares, promotor da Vara da Infância e Juventude; Marina Particheli, psicóloga do Creas (Centro de Referência Especializado da Assistência Social); Sarah C. K. da Luz, Psicóloga do Creas; Élina Cristina U. Rocha, psicóloga SAI (Serviço de Atendimento à Infância); Renato Gardasz, conselheiro tutelar. Haverá também mesa-redonda para discutir o assunto com os participantes.

Ainda na sexta-feira, no período da manhã, a partir das 9h, o Faça Bonito fará parceria com o Maio Amarelo (campanha de conscientização do trânsito) e estará repassando muitas informações à comunidade. “Vamos realizar uma ação junto ao Depatran, Detran e à empresa Rozimbo Peças. Haverá grupo de teatro, música, uma equipe da Fadep (Faculdade de Pato Branco) realizando eventos para chamar a atenção sobre o tema, com muitas brincadeiras com os alunos da rede municipal”, disse a secretária.

Números da violência

De acordo com informações do Conselho Tutelar, o fluxo de atendimento às violências, que inclui também a violência sexual, registrou 121 notificações de janeiro a abril de 2018. “Ainda não conseguimos calcular quantos desses casos são de violência sexual, mas provavelmente seja mais da metade”, salientou o conselheiro Renato Gardasz.

Os números estão aparecendo devido à organização do sistema, declarou a secretária. “Esse é o resultado da confiança das pessoas no Conselho Tutelar, no Creas, e em toda a rede que realiza o atendimento às vítimas. Com o resultado da campanha o objetivo é ampliar as ações públicas para combater as violências. Dessa forma conseguimos monitorar os casos e verificar onde ocorrem com mais frequência”, reforçou.

Denuncie

Para fazer cada vez mais bonito, uma forma de proteger crianças e adolescentes, é denunciar. Lembrando que as denúncias podem chegar de qualquer local, seja da escola, família, posto de saúde. A sociedade deve notificar, e depois, cada setor fará o seu trabalho de atendimento às vítimas.

As denúncias podem ser feitas no Conselho Tutelar pelo telefone de plantão (46) 9 9108-8784, e os fixos de segunda a sexta-feira (46) 3220-6085 e 3220-6086. Também podem ser feitas no Disque 100, Disque 181, 190 e no Creas (46) 3220-6082 ou 3220-6083. Quem denuncia não precisa se identificar, o sigilo é mantido.

Classificados