Saúde

Especialista em todo o rosto

Tem gente que acha que dentista faz restauração e coloca aparelho, mas algumas especialidades vão muito além dos dentes
[""] (Foto: Arquivo)

Quando a gente pensa na profissão “dentista”, como chamamos popularmente quem é graduado em odontologia, logo vem em mente o barulho aterrorizante do motorzinho. Também, um sorriso bonito, sendo a estética bucal uma das principais atribuições deste profissional.

Restaurações, limpeza, clareamento, implante, extração, aparelho ortodôntico, entre outros procedimentos, são os mais lembrados pelo senso comum quando citamos a profissão. Mas pouca gente lembra de consultar um dentista quando tem muita dor de cabeça, por exemplo.

Mas deveria. E sabe por quê? Porque, para tratar dos nossos dentes, é preciso estudar todo o nosso crânio.

Dentro da odontologia há uma especialidade chamada cirurgia bucomaxilofacial que conhece ainda mais sobre o assunto. Um profissional da Odontologia pode fazer essa pós-graduação, que geralmente é realizada em ambiente hospitalar, por um período que varia de dois a quatro anos de dedicação exclusiva, estudando tudo sobre traumas de face e ossos do crânio.

José Ricardo Pereira Martins é um exemplo. Durante o período de três anos (2008 a 2011), ele teve dedicação exclusiva à Residência em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial, pela Unioeste, no Hospital Regional de Cascavel – PR. Hoje ele é membro do Colégio Brasileiro de Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial e professor em cursos de especialização, fazendo parte do corpo docente em Especialização em Implantodontia pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste) – Campus de Cascavel; em Aperfeiçoamento em Cirurgia Bucal pela ABO – Associação Brasileira de Odontologia, em Cascavel – PR; e em Especialização em Implantodontia pela Uningá - Bionep Pato Branco.

 

O que faz um especialista bucomaxilofacial?

Martins explica que este profissional é mais indicado para corrigir anomalias faciais, tais como maxila ou mandíbula muito grande, pequena ou desviada para os lados, que geram assimetrias. Também realizam tratamento de traumas de face que possam envolver a pele, boca e os ossos da face na região que engloba a parte anterior da orelha, o osso hioide (popularmente conhecido como “gogó” ou “pomo de adão”) até a região entre as sobrancelhas.

“Tratamos de doenças e tumores da boca, cuidamos dos enxertos para reposição de osso perdido ou atrofiado na boca (maxila e mandíbula), podendo posteriormente realizar a instalação de implantes dentários. Tratamos também dos casos mais complexos de reconstruções faciais, dores faciais e na Articulação Temporo Mandibular (ATM)”, completa.

Algumas situações que nunca pensaríamos em consultar um profissional de odontologia podem ser solucionadas com essa consulta, como problemas relacionados à apneia do sono, que também estão dentro da área de atuação do Cirurgião Bucomaxilofacial.

Também, quando o paciente apresenta cefaleia constante, e forem descartadas questões neurológicas e vasculares, é muito comum que ela tenha origem dentária. “Os dentes devem se encaixar de forma equilibrada, e quando isso não acontece você pode mastigar errado, forçar os músculos e nervos, causando grande esforço na região e provocando inflamações e dores que refletem na cabeça toda, agravados em situações de estresse emocional”, explica o especialista.

 

Cirurgias

Quando existe a má formação dos ossos da face, seja por padrão genético ou interferências no desenvolvimento por alterações respiratórias, entre outras, os ortodontistas indicam ao paciente a fazerem uma consulta com o Bucomaxilofacial. “São casos onde os ossos apresentarem atrofia (pequeno crescimento da maxila ou mandíbula), crescimento exacerbado da maxila ou mandíbula, em algumas situações com deslocamento, levando o paciente a apresentar assimetrias. Por causa desses problemas, o Ortodontista passa a ter limitações para chegar a um tratamento de excelência sem a Cirurgia Ortognática”, fala Martins.

 O especialista indica que o ideal é observar as crianças, pois algumas situações de mau desenvolvimento dos ossos da face são possíveis de serem amenizadas ou resolvidas com tratamento ortopédico facial, sendo maiores as chances de prevenir casos de dor e problemas relacionados à autoestima e ao desenvolvimento.

Outra cirurgia realizada pelo especialista Bucomaxilofacial é mais comum: a retirada dos dentes do siso, e todos de uma vez.

“Existe a possibilidade de realizarmos em uma única cirurgia a exodontia dos quatros terceiros molares (sisos). É claro que se deve realizar uma ótima anamnese do paciente, exames de imagem, como radiografia panorâmica e, em alguns casos, solicitar Tomografia Computadorizada, além de um exame de sangue. Após planejamento e esclarecimento ao paciente, se ele estiver mesmo de acordo com a retirada de todos os “dentes do juízo”, esta técnica vem sendo realizada rotineiramente”, explica.

Martins cita ainda como tarefa do especialista em cirurgia bucomaxilofacial os cistos odontogênicos, implantes dentários, tumores na boca, fratura dental, reimplante dentário, extração de outros dentes, traccionamento dentário, mini-implante ortodôntico, cirurgia paraendodôntica, cirurgia pré-protética, entre outras.

 

Acidentes de trânsito

Martins lembra que o acidente de trânsito é a causa mais comum de traumas da face, seguindo das agressões físicas e acidentes esportivos. “Portanto, façam uso do cinto de segurança, coloquem as crianças na cadeirinha com os cintos afivelados”, alerta.

Aos motociclistas, ele indica que utilizem de maneira correta o capacete.

“Se alguém de sua família sofrer um traumatismo em face, solicite o atendimento de um cirurgião bucomaxilofacial. Todos os hospitais no Brasil oferecem ou encaminham os pacientes para avaliação especializada”, finaliza.

Vale lembrar que o Colégio Brasileiro de Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial é o órgão associativo que congrega os Cirurgiões Buco-Maxilo-Faciais do Brasil. Está presente em mais de 1.200 cidades, em todo o território nacional, e tem atualmente mais de 1.500 especialistas associados. Para fazer a busca dos profissionais que de fato são especialistas entre no site: www.bucomaxilo.org.br

 

Como socorrer um trauma?

As crianças gostam de brincar, e brincadeiras muitas vezes aumentam a incidência de dentes quebrados ou arrancados. O especialista diz que os traumas dentários são muito constantes durante a recreação, seja em um pega-pega ou um jogo de futebol. “Para isso, irei repassar um passo a passo simples e fácil com sete recomendações básicas, caso você, um familiar ou vizinho enfrente uma situação dessas”:

1°) atenda a criança e tente acalmá-la;

2°) recolha o dente do local do acidente;

3°) sempre segure o dente pela coroa, nunca pela raiz;

4°) se estiver sujo, lave com soro fisiológico ou leite. OBS: não precisa esfregar, apenas lave;

5°) nunca lave o dente com antisséptico ou pasta de dente;

6°) coloque o dente dentro de um recipiente com leite ou soro fisiológico (nunca embrulhe num papel);

7°) procure um local de atendimento especializado, onde exista um cirurgião-dentista.

 

Legenda: José Ricardo Pereira Martins - Cirurgião-Dentista, Especialista em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial - Unioeste, Graduado em Odontologia pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná - Unioeste, Professor Curso de Especialização em Implantodontia - Unioeste, Professor Curso de Aperfeiçoamento em Cirurgia Bucal - ABO/Cascavel

Classificados