Pato Branco

Escola arrecada lacres e tampinhas para trocar por cadeira de rodas

Cada sala de aula terá um galão onde serão colocados os lacres e as tampinhas (Foto: Helmuth Kühl)

A Escola Municipal do Bairro Planalto – CAIC, de Pato Branco, está desenvolvendo um projeto social voltado à sustentabilidade chamado Lacre essa ideia.

De acordo com a diretora da escola, Ivaneta Eugenia Monteiro, o projeto consiste em arrecadar tampinhas de garrafas pet e lacres de latinhas de alumínio para trocar por cadeira de rodas. O projeto teve início nessa segunda-feira (19) e já no primeiro dia conseguiu arrecadar uma boa quantidade de material.

Ivaneta explicou a ideia de desenvolver esse projeto surgiu com o intuito de contemplar o tema da Maratona do Conhecimento, promovida anualmente pela Secretaria Municipal de Educação e Cultura, que neste ano é a sustentabilidade.

Ela contou que recolher tampinhas e lacres é uma forma de proteger o meio ambiente e de transformar esse material que iria para o lixo em algo útil para a sociedade. Além disso, no ano passado a mãe de um aluno precisou de uma cadeira de rodas e a comunidade escolar foi parceira em ações para que ela conseguiu.

Ivaneta disse que viu na televisão várias iniciativas como essa e achou válido levar a proposta para a escola, já que ao trocar o material arrecadado por cadeira de rodas, poderia ajudar o meio ambiente e o próximo.

O projeto social de cunho sustentável está sendo realizado na escola do bairro Planalto e conta com a colaboração de todos os professores e estudantes, que hoje são 435 alunos regulares, 211 no tempo integral, além dos pequeninos das creches e dos pais e responsáveis por toda essa galerinha.

Como alguns alunos são filhos de comerciantes do bairro, a escola conta também com a ajuda do comércio local para arrecadar o material, contudo convida toda a população de Pato Branco a também colaborar.

Para Ivaneta a maior dificuldade enfrentada é despertar nas pessoas a iniciativa de separar as tampinhas e os lacres, já que muitos ainda não possuem o hábito de separar o lixo reciclável, apesar do serviço de recolhimento seletivo ser ofertado pelo Município em todos os bairros.

No encerramento do projeto, que teve acontecer mais para o fim do ano, a escola vai entregar a uma entidade beneficente de Pato Branco todo o material arrecadado para que seja trocado pela cadeira de rodas. Ivaneta contou que para que isso aconteça será preciso muito material, ou seja, cerca de 140 garrafas pet de dois litros cheias de lacres para cada cadeira. A quantidade de tampinhas é ainda maior.

Para ajudar a conscientizar a comunidade a escola vai promover palestras e outras ações relacionadas ao tema. No entanto, a proposta mal iniciou e as crianças já estão engajadas.

Será colocado um galão de plástico de cinco litros em cada sala de aula. Quando as crianças levarem o material, as professoras farão a contagem e tomarão nota em uma tabela. No final do projeto, as duas crianças que mais tiverem contribuído com tampinhas e lacres receberão um prêmio surpresa. A ideia da premiação, de acordo com Ivaneta, é para estimular a participação no projeto.

 

 

 

 

Classificados