Região

Dinamites seriam usadas para explodir cadeia de Guarapuava

Policiais do Choque, especializados em operações especiais e de alto risco, com apoio do Batalhão de Operações Especiais da Polícia Militar (Bope), apreenderam às 19h de quinta feira (7), 11 unidades de dinamite em Foz do Jordão.

Policiais do Choque, especializados em operações especiais e de alto risco, com apoio do Batalhão de Operações Especiais da Polícia Militar (Bope), apreenderam às 19h de quinta feira (7), 11 unidades de dinamite em Foz do Jordão.

Os explosivos estavam no pátio de uma residência no centro da cidade. De acordo com o comando do Destacamento da Polícia Militar em Foz do Jordão, o local foi isolado até a chegada do esquadrão antibombas para a movimentação dos artefatos.

Pablo Henrique de Almeida, 18 anos, foi preso e encaminhado para a 14ª SDP de Guarapuava. Segundo informações repassadas pela polícia, o rapaz seria parente de alguns presos na Operação Segredo, deflagrada em junho de 2015, e que na época, desmantelou uma organização criminosa suspeita de cometer homicídios, furtos e roubos em toda a região.

A origem e o uso dos explosivos ainda serão investigados pela Polícia Civil. Mas de acordo com o comando do Destacamento da PM de Foz do Jordão, o plantão recebeu uma denúncia de que havia dinamites no quintal de uma residência e seriam usadas para explodir o prédio da cadeia pública de Guarapuava e consequentemente, facilitar uma fuga em massa.

Esta seria a segunda tentativa de explodir a cadeia com artefatos desse tipo. Em setembro do ano passado, explosivos foram encontrados na carceragem da cadeia pública e encaminhados ao Esquadrão Antibombas da Polícia Militar para identificação. Na época, foi informado que os explosivos estavam no solário, em local visível, e a suspeita é que seriam utilizados para explodir o solário, permitindo a fuga de presos. (Diário Reservense)

Classificados