Região

Comitiva do Sudoeste viaja a Israel para missão técnica

A comitiva é formada por 16 empresários e líderes do Sudoeste do Paraná (Foto: Darce Almeida / Acefb)

Na quinta-feira (5), uma comitiva de 16 empresários e líderes do Sudoeste do Paraná saiu da Associação Empresarial de Francisco Beltrão (Acefb) com destino a Israel. O grupo, que chegou ao país no domingo (8), deve retornar na próxima segunda (16).

Conforme a assessoria de imprensa da Acefb, a viagem é organizada pelo Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social de Beltrão (Condef), ligado à Acefb, com o apoio do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), da Prefeitura, do Instituto Internacional de Liderança de Israel e da Nexus Desenvolvimento Humano.

“O objetivo é conhecer as organizações de Israel, como interagem para que se desenvolvam tão rapidamente na área tecnológica. Também almejamos buscar a possibilidade de trazer alguma integração com alguma indústria, instituição lá de Israel. Não é fácil, mas temos esse desejo. Mas creio que o desejo maior e absoluto é buscarmos inspiração”, afirma o presidente da Acefb, Tarsizio Carlos Bonetti.

Para o diretor executivo da Acefb, Juarez Ribeiro, a associação é sempre comprometida com o desenvolvimento local. Por isso, segundo ele, investe em várias parcerias. “Temos parcerias com o poder público municipal, com o Condef, e, por meio dessas parcerias, estamos fazendo essa visita técnica para conhecermos um pouco mais desse país inovador, tecnológico, que tem um reconhecimento muito grande no seu desenvolvimento local, porque apostou na parte de inovação, ciência e tecnologia. E queremos buscar inspiração. Precisamos de inspiração para trazermos algo ao nosso município, adaptar as boas práticas que acontecem em Israel e aplicar aqui em Francisco Beltrão”.

César Colini, gerente regional do Sebrae que também está na comitiva, considera que “fazer conexões com os nossos ecossistemas locais, com os ecossistemas que estamos conhecendo lá, vai amadurecer ainda mais e consolidar o nosso trabalho de inovação regional”, afirma.

Ele ainda acrescenta: “Também acredito que as inspirações e o que estamos criando de redes de contato — e mesmo conhecendo novas experiências, novas empresas, novos ambientes de inovação — farão com que tenhamos uma noção maior de como associar as nossas competências com as oportunidades que estão no Sudoeste”.

Carlos Guedes, consultor organizacional e palestrante, explica que o grupo está tendo a oportunidade inédita de conhecer uma região que, em poucas décadas, transformou-se de país agro para uma ‘startup nation’, ou seja, uma nação que exporta tecnologia e inovação ao mundo. “Mesmo com todas as suas adversidades — a pouca extensão geográfica, sendo um país com 20 mil quilômetros quadrados; um país com pouca população, cerca de 8 milhões de habitantes; além do deserto, a escassez de água, entre outros limitantes —, o objetivo da missão técnica é permitir que o participante entre em contato direto com os diversos projetos e modelos de desenvolvimento local. Que permita perceber os destaques que Israel conseguiu em pouco tempo, com o seu Produto Interno Bruto (PIB), qualidade de vida, tecnologia de ponta e os avanços diversos no segmento empresarial, na universidade e outros setores”, destaca.

Guedes acrescenta que o grupo está conhecendo vários locais do país. Ao Centro, em Telavive e Jerusalém; ao Norte, em Haifa e Galiléia; e ao Sul, no Deserto de Negev e na região do Mar Morto. “Em cada local desses estamos visitando empresas, parques tecnológicos, universidades, kibutz, enfim, uma experiência rica para depois adaptarmos à nossa realidade no Brasil, à nossa realidade em Francisco Beltrão e no Condef”.

Classificados