Pato Branco

Com aumento 36,6%, exportação de açúcar é destaque em 2016

Divulgação

Apesar da soja ser o carro-chefe das vendas externas brasileiras, o açúcar chama a atenção da balança comercial do agronegócio no acumulado de 2016. O produto foi responsável por quase todo o montante do complexo sucroalcooleiro, com 92% do valor em vendas do setor (US$ 10,44 bilhões). Em comparação com 2015, houve crescimento de 36,6% em valor, em função do aumento da quantidade: de 24,01 para o recorde anual de 28,93 milhões de toneladas (+20,5%). Os dados foram divulgados pela SRI (Secretária de Relações Internacionais do Agronegócio) do Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento) nessa segunda-feira (9).

As exportações de álcool também tiveram expansão, passando de US$ 880,48 milhões em 2015 para US$ 896,34 milhões em 2016 (+1,8%). A despeito da queda na quantidade (-3,7%), o aumento no preço do produto (+5,7%), foi superior, o que levou ao crescimento das vendas em valor. As exportações do complexo sucroalcooleiro alcançaram a cifra de US$ 11,34 bilhões em 2016, o que representou incremento de 32,9% em comparação ao ano anterior.

De acordo com a SRI, o desempenho da carne suína também foi destaque em 2016. O produto somou US$ 1,47 bilhão, o que representou crescimento de 16,3% em relação ao ano anterior. A quantidade também foi ampliada, de 542,13 para 720,10 mil toneladas. As vendas de carne suína in natura registraram recorde no período de 12 meses para quantidade: 628,65 mil toneladas.

Entre janeiro e dezembro de 2016, as vendas externas do agronegócio brasileiro atingiram US$ 84,9 bilhões, com retração de 3,7% em relação aos US$ 88,2 bilhões exportados no ano anterior.

 

Soja

As exportações de complexo soja foram de US$ 704,00 milhões (-10,1%). O farelo de soja foi o principal produto exportado do setor no mês com US$ 372,00 milhões (-3,8%). Além do farelo de soja, também houve queda nas exportações de soja em grão (US$ 272,80 milhões; -3,1%) e óleo de soja (US$ 59,20 milhões; -48,7%).

 

Importações

As importações atingiram US$ 1,36 bilhão em 2016, o que significou um crescimento de 52,2% em relação aos US$ 896,02 milhões importados em dezembro de 2015. É interessante notar que dezembro de 2016 registrou o maior volume importado (2,09 milhões de toneladas) de toda a série histórica (1997-2016) para os meses de dezembro. Grande parte desse volume é explicado pela importação de trigo e milho, os dois principais produtos importados em dezembro de 2016.

As importações de trigo subiram de 464,4 mil toneladas em dezembro de 2015 para 713,7 mil toneladas em dezembro de 2016 (+53,7%), registrando um volume recorde de importações para os meses de dezembro. Com o incremento da quantidade importada, o valor adquirido de trigo no exterior subiu de US$ 93,93 milhões em dezembro de 2015 para US$ 132,30 milhões em dezembro de 2016 (+40,8%).

Já as importações de milho subiram 837,3% em quantidade, passando de 47,0 mil toneladas de dezembro de 2015 para 440,2 mil toneladas em dezembro de 2016. Trata-se de um recorde de volume importado para os meses de dezembro. O valor importado do produto subiu de US$ 4,89 milhões em dezembro de 2015 para US$ 76,72 milhões em dezembro de 2016 (+1.467,7%), também recorde para o mês.

 

Outros produtos que apareceram na lista de principais produtos importados foram: malte (US$ 72,35 milhões; +67,9%); álcool etílico (US$ 69,14 milhões; +1.017,2%); papel (US$ 56,51 milhões; +13,1%); salmões, vivos (US$ 47,27 milhões; +63,5%); azeite de oliva (US$ 36,18 milhões; +201,6%); leite em pó (US$ 35,74 milhões; +84,5%); borracha natural (US$ 33,96 milhões; +67,0%); alho (US$ 33,79 milhões; +68,9%).

Classificados