Economia

Com ajuda de NY, Ibovespa sobe 1,99% em sua 3ª alta seguida

A alta das bolsas de Nova York, mesmo com novos capítulos da guerra comercial entre Estados Unidos e China, acabou por influenciar o mercado brasileiro. O Índice Bovespa teve nesta terça-feira, 18, sua terceira alta consecutiva, garantida em grande parte pelo ímpeto comprador dos investidores estrangeiros. No cenário doméstico, também contribuiu a visão menos tensa em relação à eleição presidencial, apesar da expectativa pela pesquisa Ibope, a ser divulgada hoje. Assim, o Ibovespa fechou em alta de 1,99%, aos 78.313,96 pontos, maior patamar desde 29 de agosto.

Pela manhã, a China confirmou o que os mercados já esperavam e anunciou tarifas de 5% a 10% sobre US$ 60 bilhões de produtos importados dos Estados Unidos. O anúncio foi uma retaliação à decisão de Washington de impor cobranças extras de 10% sobre US$ 200 bilhões em mercadorias compradas da China, que passarão a 25% em 2019. À tarde, o presidente dos EUA, Donald Trump, defendeu as tarifas impostas sobre a China e disse que este é apenas o começo.

Os novos capítulos da novela comercial protagonizada por EUA e China acabaram por ser minimizados no mercado internacional, diante de avaliações de que as medidas terão impacto limitado e que as negociações podem ainda levar meses antes de uma solução. Com isso, os mercados americanos encontraram espaço para recuperar perdas recentes e oscilaram em alta.

"O dia não deixou de ser um pouco estranho, uma vez que, em um primeiro momento, as notícias envolvendo Estados Unidos e China deveriam provocar reação negativa. Mas, ao mesmo tempo, era algo que já estava na mesa há algum tempo", disse Glauco Legat, analista da corretora Spinelli.

Internamente, diz o analista, o mercado manteve o viés um pouco mais otimista baseado na expectativa de que o candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL) tenha condições de vencer concorrentes considerados não reformistas.

No Brasil, o ganho do Ibovespa foi garantido principalmente pelas blue chips do setor de commodities e da maioria das ações do setor financeiro, com Banco do Brasil à frente (+4,46%). Os papéis da Petrobras seguiram a valorização dos preços do petróleo no mercado internacional e subiram 3,60% (ON) e 4,38% (PN). Vale ON, ação de maior peso na composição do Ibovespa, terminou o dia com ganho de 4,18%.

Com o resultado de hoje, o Ibovespa passa a contabilizar alta de 2,13% em setembro e de 3,01% em 30 dias.

Classificados