Pato Branco

Câmara aprova lei que torna obrigatória a limpeza das galerias de canalização

A Câmara aprovou o projeto de Lei de autoria do ex-vereador Laurindo (Foto: Helmuth Kühl)

Os vereadores de Pato Branco aprovaram em segunda votação, na sessão plenária dessa segunda-feira (22), o projeto de Lei nº 196/2016, de autoria do ex-vereador Laurindo Cesa (PSDB), que institui a periodicidade de inspeção e limpeza das galerias de canalização dos rios que atravessam o município. A responsabilidade pela execução do trabalho é do Executivo Municipal. O projeto foi discutido na sessão plenária de quarta-feira (17), quando alguns vereadores fizeram pontuações sobre o projeto e a respeito do tema em geral.

Fabricio Preis de Mello (PSD) destacou que as questões ambientais ocupam uma parte significativa do mandato dele e que apenas neste ano fez quatro requerimentos solicitando a Prefeitura a limpeza das galerias. “Infelizmente hoje o município não tem uma equipe para executar esse serviço, mas estamos aprovando esse projeto e desejando que a Secretaria de Meio Ambiente e a Secretaria de Engenharia e Obras possam estar agendando com a Sanepar essa limpeza e fazendo a desobstrução das galerias para que no futuro próximo não ocorram os alagamentos em Pato Branco”, ponderou Fabricio.

Carlinho Polazzo (PROS) fez críticas às decisões dos gestores municipais no passado porque segundo ele a canalização do rio Ligeiro foi um crime contra Pato Branco. “Quando você está engaiolando um rio é evidente que isso vai ocasionar problemas no futuro. Além disso, as galerias começam com uma dimensão X, sofrem uma redução de tamanho no meio e lá no final tem outra redução. É evidente que esse funil é propício a causar enchente”. Polazzo deixou como sugestão aos candidatos a prefeito no ano que vem para que apresentem um programa de drenagem urbana para Pato Branco.

Claudemir Zanco “Biruba” (PDT) alertou que a canalização de rios fere a lei pois eles não podem ser fechados em galerias. “Alguém prevaricou, alguém deixou de cobrar a lei lá no passado e hoje estamos pagando o preço do passado”. O vereador lembrou que alagamentos em regiões como o centro da cidade não eram comuns, o que infelizmente acontece nos dias atuais.

Moacir Gregolin (MDB) disse que além da aprovação da lei é necessário pensar no futuro no que diz respeito às pessoas e para isso é fundamental a educação ambiental. “Temos que trabalhar com as crianças desde o pré até o ensino médio para que aprendam a preservar o meio ambiente, elas precisam saber o que precisa ser feito para que os rios não sejam entupidos e esses ensinamentos eles vão levar para as suas famílias”.

Joecir Bernardi (SD) elogiou o autor da lei afirmando que Laurindo Cesa sempre demonstrou a preocupação com o meio ambiente e que faz isso não apenas no discurso, mas em ações práticas.

 

Classificados