Pato Branco

Brida: a Pastor Belga Malinois que pode auxiliar em buscas e resgates

A Pastor Belga Malinois, Brida, bem que poderia ser chamada de cão colega, uma vez que todo seu adestramento foi feito por seu dono, o cinotécnico e soldado João Carlos Alves, que integra o 2ª Subgrupamento de Bombeiros Independentes (SGBI) de Pato Branco.

Brida, só não é “uma soldado”, mas tem o respeito da corporação e recentemente passou por duas “provas de fogo”, de onde obteve as certificações nacional e a internacional, que a qualificam e também a seu adestrador a trabalharem em busca e resgate de pessoas.

O feito mereceu destaque na página oficial do Facebook do 2º SGBI (Bombeiros Paraná – Pato Branco), onde estão descritas as qualificações da cachorra, tanto na prova realizada no Seminário Nacional de Bombeiros (Senabom), realizado em Foz do Iguaçu e da Organização Internacional de Cães de Resgate (IRO) em Xanxerê (SC).

Alves comenta que a primeira certificação [buscas em área rural] foi muito emocionante, principalmente, pelo fato de pouco tempo antes, Brida ter sido submetida a uma outra avaliação e não ter obtido. Contudo, a alegria se completou com a afirmação internacional.

Devido ao certificado internacional, a cachorra passa a fazer parte de um banco de dados, e em sendo necessário, em um dos Países próximos ao Brasil, pode ser acionada. No entanto, o bombeiro faz uma ressalva. “Acredito que o trabalho internacional dificilmente venha acontecer.”

A afirmação de Alves tem uma justificativa, o adestramento de cães para trabalho em órgãos de segurança como Brida em busca e resgate está muito mais avançado em outros Países em se comparando com o Brasil, assim como a população canina certificada.

Por outro lado, Brida tem grandes chances de ser acionada para ações no Estado.

Alves explica que o Grupo de Operações de Socorro Tático (Gost) do Corpo de Bombeiros, mantém um canil central em Curitiba. É este grupo especializado que é responsável por todas as ações no Paraná, porém, em havendo uma ocorrência no Sudoeste, o Gost pode acionar o comando do 2º SBGI, e este encaminhar Brida a campo

Cão bombeiro

Até o momento Brida não pode ser chamada de cão bombeiro, muito embora tenha o reconhecimento de seu desempenho por parte de colegas de farda de seu dono, bem como superiores.

Mesmo não estando no quadro a corporação, Alves destaca que ela está pronta para o trabalho. “Com a certificação ela pode trabalhar.”

Engana-se quem pensa que esta também pode ser o único animal a auxiliar no trabalho dos bombeiros em Pato Branco e possivelmente no Sudoeste. O próprio Alves revela que o também bombeiro Junior vem treinando um Labrador para atividades futuras.

Treinamento

Alves revela que desde os primeiros meses de vida, Brida passou a ser adestrada para as atividades de busca e resgate, o que resultou em um perfil no YouTube.

Respondendo a todos os comandos em português, a cachorra foi submetida a diversas atividades de buscas para chegar a excelência e a certificação, entre as devolutivas de obediência e destreza.

Cães de apoio

Com a confirmação de um cão apto a desempenhar atividades de busca e resgate a serviço do Corpo de Bombeiros, três corporações passam a contar com o apoio canino.

A primeira a incorporar os cães em sua rotina foi a Polícia Militar (PM), que tem estruturado um canil na sede do 3º Batalhão, com cães de faro de entorpecentes e também de buscas; recentemente houve a implantação do canil da Polícia Civil, com cães de faro de entorpecentes e agora do Corpo de Bombeiros.

Classificados