Pato Branco

Aluna ganha concurso do MPT e doa prêmio à escola

A entrega do prêmio à escola ocorreu na manhã da última sexta-feira (Foto: Arquivo pessoal)

A aluna Ryhanna Gabriela Kaghofer, do 5° ano do Ensino Fundamental, da Escola Municipal Lions Clube, localizada no bairro Vila Esperança, em Pato Branco, classificou-se em 2ª lugar na categoria Contos, em um concurso do Ministério Público do Trabalho (MPT), na etapa estadual.

Ela foi premiada com um cheque de R$ 10 mil, e na manhã da última sexta-feira (30), a menina e seus pais fizeram a doação do prêmio à escola. Segundo o edital, o valor deve ser, necessariamente, investido na revitalização da escola.

O Prêmio MPT na Escola tem por objetivo fomentar a participação de crianças e adolescentes nas ações de mobilização, conscientização e prevenção do trabalho infantil. É dividido em três etapas: municipal, estadual e nacional; seis categorias: conto, poesia, esquete teatral, curta-metragem, música e desenho; e dois grupos: 4ºe 5º anos e 6º e 7º anos, do Ensino Fundamental.

A cerimônia de premiação na etapa estadual aconteceu no último dia 26, no auditório da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep), em Curitiba. Na oportunidade, além de Ryhanna – que foi premiada com o conto “Uma nova vida para Lucy”, outros alunos do Sudoeste também foram premiados.

Na categoria Conto: “O rei ganancioso e a exploração do trabalho infantil”, da Escola Municipal Independência, de Realeza, conquistou o 3º lugar; na categoria Poesia: “Brincar é melhor do que trabalhar”, Escola Municipal Prefeito Paulino Stedile, de Coronel Vivida, conquistou o 3º lugar; na categoria Esquete Teatral: “Não roubem minha infância”, Escola Municipal Coronel Santiago Dantas, de Chopinzinho, conquistou o 2º lugar; Curta-metragem: “Diferentes realidades”, Escola Modesto de Palma, de Realeza, conquistou o 1º lugar; e na categoria Desenho: “Uma criança feliz é uma criança na escola”, Escola Municipal Professora Greuza Dal Molin, de Realeza, conquistou o 1º lugar.

Na etapa nacional, um aluno de Realeza ficou com o 1º lugar na categoria Desenho, e a cerimônia de premiação aconteceu no dia 28, na sede da Procuradoria Geral do Trabalho (PGT), em Brasília.

Neste ano, os projetos dos alunos do Ensino Fundamental de escolas públicas inscreveram produções sobre trabalho infantil, incluindo o tema da reciclagem. O valor total do prêmio, na etapa paranaense, é de R$ 180 mil para cada grupo, sendo: R$ 15 mil para o melhor trabalho de cada categoria; R$ 10 mil para o 2º lugar; e R$ 5 mil para o 3º lugar.

 

Conto

Uma nova vida para Lucy

Lucy tinha 8 anos, vinda de uma família com mais três irmãos menores. Não frequentava a escola porque precisava ajudar a sustentar seus irmãos, pois sua mãe estava adoentada e o pai havia os abandonado.

Ela trabalhava nos semáforos da cidade vendendo doces, água e refrigerantes. Todos os dias, desde cedo até o entardecer, lá estava Lucy, com uma enorme caixa sobre os ombros andando entre os carros, sob o sol que queimava sua pele ou sob a chuva que a deixava encharcada e com frio.

Mas ela não se importava, preocupava-se apenas em conseguir alguns trocados, e com o pouco que conseguia, comprava alimentos para sua família, na verdade, o mínimo para que conseguissem sobreviver. Nada de roupas ou calçados, os que usava eram doados por pessoas que ali passavam. Brinquedos! Nem em sua imaginação, pois já não sabia o que era infância e não imaginava quanto isso a prejudicava. Apenas queria proteger os irmãos menores para que não precisassem passar por isso! E rezava para que não ficassem doentes.

Com toda essa situação, Lucy não reclamava da vida, ia para a rua com seus doces e com um sorriso no rosto, com alegria e educação que contagiava todos que, indiferentes, passavam por ali. Porém sentia que seu sonho ficava cada vez mais distante! E na sua difícil rotina, os dias iam passando...

Então, houveram denúncias dos vizinhos ao Conselho Tutelar que procurou a família e explicou sobre os direitos de Lucy e seus irmãos, perceberam que sua mãe ignorava o quanto essa situação era prejudicial para o futuro de sua filha.

Entraram em contato com familiares de outras cidades, para que pudessem ajudar de certa forma, eles também desconheciam o que estava acontecendo.

Lucy ficou assustada em pensar que pudessem separá-la da mãe e dos irmãos, mas os familiares se uniram para apoiá-los.

Tudo mudou, e o que Lucy imaginava ser impossível aconteceu! Conseguiu voltar à escola, assim como seus irmãos. Apesar de ter perdido muito tempo longe dos cadernos e livros, ela lembrava-se exatamente como traçar as letras e números.

Sua mãe recebeu tratamento adequado, entrou para programas de profissionalização e já conseguiu emprego em uma fábrica perto de casa.

Hoje o sorriso de Lucy tem algo a mais, tem de volta a criança esquecida dentro dela, e que agora pode aproveitar e viver sua infância!

Autora: Ryhanna Gabriela Kaghofer – 5° Ano

Classificados