Coluna ADI-PR
“Paraná será o melhor Estado para investimentos”, afirma o Chefe da Casa Civil

“Paraná será o melhor Estado para investimentos”, afirma o Chefe da Casa Civil

Secretário Chefe da Casa Civil, Guto Silva.
Foto: Divulgação/ANPr

O Chefe da Casa Civil do Paraná, Guto Silva, fez um balanço dos primeiros 30 dias do governo Ratinho Junior. Em entrevista à Coluna da ADI, ele listou as medidas adotadas desde o primeiro dia da nova gestão e o que o Paraná pode esperar do governo.
“Em um mês, o governo reduziu o número de secretarias de 28 para 15, determinou a revisão de contratos e convênios, auditoria na folha de pagamentos de ativos e inativos, congelou os salários do primeiro escalão, propôs o fim da aposentadoria de ex-governadores e devolveu o jatinho exclusivo, o que gerou uma economia de R$ 4 milhões e meio de reais. Além disso, está implantando a lei mais moderna do país na área de concessões e o primeiro programa de compliance do país que envolve toda a administração estadual. Com essas medidas e outras que ainda serão anunciadas, estamos criando um ambiente favorável à inovação, à industrialização. O Paraná vai ser o melhor Estado para se investir.”

Bloco parlamentar
PSL e PTB formam o maior bloco partidário da Assembleia Legislativa, com nove deputados. O grupo terá duas cadeiras na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), a mais importante da Casa. Os escolhidos para os postos são Fernando Francischini (PSL) e Tião Medeiros (PTB). Francischini deve ser candidato à presidência da CCJ e disputar o cargo com Nelson Justus (DEM).

Oratória
Os principais embates no legislativo devem ocorrer entre o deputado Hussein Bakri (PSD), líder do governo e o petista Tadeu Veneri, que vai representar a oposição. Os dois são bastante experimentados na arte da oratória.

PSD vai sozinho
Cinco blocos requereram registro à mesa diretora a Assembleia neste início de legislatura: MDB-DEM, PSDB-PV, PR-PRB-PODE, PDT-PMN-PPL e PSL-PTB. Sete siglas optaram por não formar blocos, entre elas o PSD, do governador Ratinho Junior.

TCE suspende licitação
O pleno do Tribunal de Contas do Estado (TCE) suspendeu o processo licitatório aberto pela Prefeitura de Londrina e Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização (CMTU) para a concessão do transporte coletivo da cidade. A concorrência é no valor R$ 2,16 bilhões para um contrato de 15 anos, renováveis por igual período. O tribunal acolheu argumentos da empresa que opera o sistema, que alega vícios no edital. O município recebeu prazo para apresentar o contraditório.

Mulheres na política
Do total de deputados da Assembleia Legislativa do Paraná, apenas 7% são mulheres. Aparentemente o problema não é o desinteresse. A deputada estadual Cristina Silvestri, uma das convidadas do primeiro curso de Formação Política para Mulheres, que acontece este mês na UFPR, em Curitiba, apontou dificuldades nas próprias organizações partidárias: “Como nós queremos falar em igualdade de gênero se existe a diferença e o preconceito dentro dos próprios partidos?”, disparou.

Classificados