Vanilla

De volta para o Passado

Guilherme Bittar

01/04/2016 às 11:52 - Atualizado em 01/04/2016 às 13:52

Com potenciômetro, medidor de plutônio, capacitador de fluxo e a máquina tempo, o DeLorean da Coleção CP Collection, em Pato Branco, uma réplica perfeita do modelo usado em “De Volta para o Futuro”, só não tem uma funcionalidade do veículo do filme: viajar no tempo.

Ou quase isso. Por que ver de perto o veículo idêntico ao que o Doc Brown utilizou para ir para lá e para cá no calendário, não deixa de ser uma viagem. Um passeio nostálgico, sensorial e saboroso, afinal “De Volta para o Futuro” é um clássico. Inventivo e ao mesmo tempo inocente, mas sobretudo carismático.

Eduardo Matysiak
Réplica do Delorean da coleção CP Collection
A réplica da CP Collection é uma raridade. A única da América do Sul do primeiro filme da franquia. O DeLorean, em si, é bastante raro no Brasil. Há apenas seis modelos registrados no país.

A obra de arte estacionada no barracão da CP em Pato Branco, cujo valor é inestimável, é assinada pela R.R Restaurações, da qual Fernando Paveloski é responsável.

Foram dez meses trabalhando para que o DeLorean saísse idêntico ao do filme. Horas vendo e revendo cenas do longa-metragem, para não deixar passar nada. “Vi o filme mais de 40 vezes, para pegar cada detalhe”, afirma Paveloski.

Como pesquisa, Fernando também viu nos Estados Unidos réplica no acervo da Universal. O estúdio possui dois modelos do veículo: um completo e outro usado apenas para as filmagens internas.
Eduardo Matysiak
Veículo sofreu mais de 200 alterações


O modelo recebeu 218 alterações. Algumas peças foram compradas de alguns dos vários veículos utilizados para o filme, como é o caso do medidor de fluxo. “Ele é funcional. Tem potenciômetro e oscila como se fosse no filme.  Você pode digitar o ano. Só não vai para o futuro”. Já o relógio acoplado ao painel veio da Inglaterra.

Até o pneu é original. Sorte que o carro estava com baixa quilometragem, pois o modelo da Goodyear não é mais fabricado. No filme, para viajar no tempo, o DeLorean possui um capacitor de fluxo, que exige 1,21 gigawatt providenciados por fissão nuclear. O combustível é plutônio, que abastece o reator. Todos esses componentes – fictícios, naturalmente – estão presentes na réplica da CP Collection.

O capacitador de fluxo, aliás, é autografado pelos dois atores que interpretaram os personagens que pilotam o veículo, Michael J. Fox (Marty) e Christopher Lloyd (o Doc), comprado em leilão beneficente.
Guilherme Bittar
Capacitador de fluxo


Alguns itens utilizados pela dupla no filme também acompanham o carro, como o modelo de filmadora usado pelo Doc, o controle remoto e o skate voador.

Restauração
Fernando trabalha com carros antigos há 19 anos, quando deixou de lado a carreira de sargento no Exército. Estudou técnicas nos Estados Unidos. E durante os últimos anos viajou para a América diversas vezes em busca de peças e fornecedores.

A empresa de restauração, que presta serviços exclusivamente à CP Collection, tem 14 funcionários. Segundo Fernando, o processo mais difícil no DeLorean foi a construção da parte interna.

 

 

DeLorean: um esportivo
sem muita potência


O DeLorean DMC-12 é um carro esportivo produzido de 1981 a 1982 pela empresa automobilística norte-americana DeLorean Motor Company. O design é ousado. As portas são no formato asa de gaivota. Mas a potência não acompanha o visual esportivo. Os 145 cavalos não convenceram, por exemplo, o piloto Rubinho Barrichello, que pilotou o modelo da CP Collection no programa Acelerados. “Estou sentindo falta do volante hidráulico. Minha cabeça bate no teto. E o freio demora para atoar. Ele está ainda em 1985. O freio é praticamente um pedal de embreagem”.


Apesar da decepção com a mecânica do carro, Barrichelo revelou a emoção de pilotar a réplica. “Foi uma emoção muito grande reviver o carro. Você se coloca dentro do filme. É sensacional”.


No programa, os apresentadores afirmam que a réplica do DeLorean da CP Collection já teve oferta de R$ 500 mil, que foi recusada. “Não dá para dizer quanto um carro desses custa. Vale o quanto o dono quiser”, opina o apresentador Cássio Cortes.

 

Outras preciosidades
da CP Collection


Além da réplica do Delorean do filme “De Volta para o Futuro”, o acervo da CP Colection tem outras preciosidades consagradas nas telas de cinema. O espaço tem o Ford Mustang 1967, o Eleanor de “60 Segundos”, com seus mais de 500 cavalos e consumo que, em previsão otimista, faz 2 km/l.

Guilherme Bittar
Eleanor, de "60 segundos"

Há ainda o Ford 34 de “Bonnie e Clyde” (inclusive com as perfurações de balas feitas idênticas ao filme). E um Mercury Monterey 1950, de “Stallone Cobra”.

Ousada, a coleção abriga o maldito Porsche 550, modelo no qual James Dean morreu num acidente e que foi responsável por várias mortes subsequentes.Além de modelos eternizados nas telas do cinema, há outros que são clássicos de seu tempo, como a Ferrari 308, Ford 1919, Cadilac Imperia, Romiseta, Corvette e Thunderbird.

 

Guilherme Bittar
Stallone Cobra

A coleção pertence ao empresário Cláudio Petrycoski e possui mais de 200 veículos. Em dezembro de 2015, o empresário abriu o acervo para visitação. “Eu gosto de veículos antigos e entendi que deveria compartilhar com todos o prazer do belo estético que o carro proporciona”, afirma Petrycoski.O dinheiro arrecadado com os ingressos foi revertido a entidades. Em 12 dias de exposição, foram 6.110 visitantes e R$ 60.000,00 em arrecadação financeira, além de 1.252 quilos de alimentos e 60 litros de leite. Exposição reaberta

Para quem não pôde ver os “astros” do cinema e demais preciosidades de perto em dezembro de 2015, haverá nova oportunidade. A CP Collection deverá ser reaberta bimestralmente ao longo do ano, nas seguintes datas: 6,7 e 8 de maio; 1º, 2 e 3 de julho; 2, 3 e 4 de setembro e finalizando o ano nos dias 4, 5 e 6 de novembro.

 

Publicidade
Loterias

MEGA SENA

Concurso 1915 25/03/2017
  • 57
  • 21
  • 2
  • 33
  • 20
  • 48
Publicidade
Publicidade
Publicidade