Vanilla

Assim se come no México

Nelson Junior

13/01/2016 às 15:36 - Atualizado em 13/01/2016 às 16:49

Abacate bom é o salgado, e a pimenta aparece até nos doces. Assim são alguns pratos populares no México, país que possui uma culinária curiosa e temperada

Helmuth Kühl
Os ingredientes da Guacamole

Para muitos brasileiros, abacate só desce bem com açúcar. Alguns já torcem o nariz para o sabor da fruta in natura, imagine então com sal? O que dizer então de pirulitos e outros doces com sabor de pimenta?

Estudar a cultura por meio da culinária nos ensina que o que parece difícil de engolir para alguns pode ser iguaria para outros. É o caso do abacate salgado e das pimentas, tão comuns para o paladar dos mexicanos quanto o nosso arroz e feijão.

Abacate com açúcar, aliás, também é coisa nossa. Em vários outros países da América Latina, bom mesmo é comer a fruta verde bem temperada com sal e outros condimentos. Essa é a base da Guacamole, possivelmente o prato mexicano mais conhecido mundo afora.

Por lá, o “purê” de abacate salgado é um aperitivo bastante comum nas mesas de happy hour e nas opções de entrada em restaurantes. Quem conta é um mexicano nato, Max Vazquez, estudante de Veracruz, cidade no litoral leste do país, que fica há cerca de 400 km da capital, Cidade do México.

Helmuth Kühl
Massa para o nacho, ou totopo. No México, o petisco é vendido pronto

Vazquez é intercambiário do Rotary e deve ficar no Brasil por uns bons meses. Vanilla convidou o estudante para acompanhar o preparo da Guacamole pelas mãos de um brasileiro, enquanto conversávamos sobre hábitos alimentares, pratos e outras curiosidades da culinária de seu país.

Quem botou a mão na massa foi Guilherme Borduqui, gastrônomo e professor do Senac de Pato Branco, instituição que emprestou a cozinha para a experiência.

A Guacamole é consumida junto com a tortilla, uma espécie de pão feito basicamente de farinha e água. Borduqui explica que a receita leva farinha de milho, na forma de biju ou fubá, manteiga, água e um pouco de páprica doce, para dar cor. Páprica é o pimentão desidratado e moído.

Vazquez explica que os mexicanos nem precisam se dar ao trabalho de fazer tortilla, pois ela é farta nas prateleiras de supermercados, seja para fritar, já frita, e até mesmo cortada no formato de nachos – em triângulos.

Aliás, “nacho”é um nome adotado praticamente por estrangeiros. “Nós também chamamos de nachos, mas o nome mais comum é totopo”, esclarece o mexicano.

Segundo ele, os totopos preparados por Borduqui ficaram um pouco mais grossos do que os mexicanos, mas o sabor agradou. Prepará-los é a etapa mais demorada da Guacamole, pois a massa precisa passar pela frigideira e depois ser assada.

Helmuth Kühl
...só melhora.

O purê, feito para a reportagem, levou ingredientes como tomate, cebola, pimenta dedo de moça e limão. Ficou de lamber os dedos, e a receita foi aprovada pelo nosso convidado, que aproveitou para dar uma dica de conservação. Para deixar a Guacamole verde e fresca por mais tempo, basta guardá-la na geladeira com a semente do abacate.

Hábitos

De modo geral os hábitos alimentares dos mexicanos são parecidos com os brasileiros. São basicamente três refeições por dia, mas a diferença está na natureza dos pratos e nos horários.

Vazquez conta que o café da manhã costuma ser servido por volta das 7h, mas o horário em que se pode tomar café se estende até às 11h. “Dependendo da jornada de trabalho, algumas pessoas comem cedo, e depois fazem outra refeição ainda de manhã”, detalha.

Mas essa refeição extra ainda não é o almoço, que costuma ser servido por volta das 15h. Ao contrário do Brasil, o café da manhã é a refeição mais reforçada dos mexicanos.

Segundo Vazquez, as mesas geralmente têm café, pão, ovos, tortilla, e também podem aparecer pratos típicos como empanadas, e enchiladas, uma panqueca de milho bem temperada.

Helmuth Kühl
Prato feito. Guacamole é a porção de fritas dos mexicanos

O cardápio do almoço leva dois pratos; primeiro uma sopa, depois um combinado de carne - frango e porco são as mais comuns – arroz, e um creme feito à base de feijão amassado. Vazquez explica que no México também se cozinha feijão como no Brasil. Fritá-lo é outra alternativa. À noite vem a refeição mais leve, que costuma ser um sanduíche.

Comer depois de ir à igreja é um dos costumes de fim de semana, pelo menos em Veracruz. Nos sábados e domingos também se pode comer carne ao modo rancheiro. Sair à noite para comer, ou pedir uma pizza, também são hábitos comuns.

Enquanto esteve no México, a estudante brasileira Joanna Cenzi notou a diferença quanto às carnes. Segundo ela, apesar de serem consumidas com frequência, as porções são bem menores e menos temperadas do que as servidas no Brasil.

Particularidades

Segundo Vazquez, a grande maioria das famílias consome muita pimenta. As variedades são muitas, mas ele julga que a Jalapeno, verde e de pouca ardência, é a mais comum.

Há inclusive doces de pimenta, como pirulitos, que são ardentes no primeiro paladar e doces no retrogosto. Joanna mencionou a Tajin, um molho de pimenta que, segundo ela, deixa as frutas muito saborosas.

Helmuth Kühl
Borduqui, Vazquez e Joanna

Outra particularidade mexicana são os refrescos. Além da cerveja, os mexicanos bebem a horchata, bebida não alcoólica feita a partir de arroz, e a água de jamaica, feita a partir da flor de jamaica, uma espécie de hibisco. A bebida é doce e refrescante.

Assim se come no México
Abacate bom é o salgado, e a ‪#‎pimenta‬ aparece até nos doces. Convidamos um mexicano para acompanhar o preparo de uma ‪#‎Guacamole‬, prato típico do ‪#‎México‬, e conversar sobre a curiosa culinária e os hábitos alimentares de seu país.

Publicidade
Loterias

MEGA SENA

Concurso 1894 14/01/2017
  • 31
  • 35
  • 57
  • 54
  • 21
  • 53
Enquete

Você é a favor do voto facultativo ou entende que ele deve permanecer obrigatório?

Publicidade
Publicidade
Publicidade