Vanilla

Educando e cantando

Nelson Junior

19/08/2015 às 13:35 - Atualizado em 19/08/2015 às 16:56

Música é arte, é entretenimento, expressão e também uma poderosa ferramenta de aprendizagem

Helmuth Kühl
Meu primeiro instrumento musical

Um grupo de crianças sentadas em círculo cantam “Família” com um entusiasmo à altura de um grande fã dos Titãs. Mas não se trata de um acampamento ou colônia de férias. As crianças estão na escola, e em horário de aula.

A música não só espanta os males, como diz o velho ditado, mas também ajuda a ensinar. Em várias escolas de Pato Branco, públicas e privadas, a musicalização é uma ferramenta no processo de ensino aprendizagem.

Seja em projetos de contraturno ou como disciplinas na grade curricular, estudantes de várias idades tem contato com instrumentos musicais, sons, partituras, teorias e várias outras nuances do universo musical. Por mais que pareça mera brincadeira, tudo indica que isso tem um efeito poderoso na formação da molecada.

“Há estudos que provam que a música contribuiu com o desenvolvimento cerebral, intelectual e físico do aluno que é musicalizado nessa faixa etária”, explica Juliane Baseggio, a professora que comandava a cantoria relatada no início dessa matéria, que aconteceu no Colégio Mater Dei.

A faixa etária a que ela se refere, é dos 5 aos 9 anos de idade, onde está o foco principal de seu trabalho. E foi mais ou menos nessa fase da vida que Juliane conheceu a música. Da infância até a sala de aula, ela cantou em festivais, estudou violão, regeu corais e fez pós-graduação em música e educação.

Helmuth Kühl
Juliane Baseggio e sua turminha. Aulas para formar ouvintes críticos

Que música faz bem ninguém duvida, mas Juliane conta que no meio acadêmico ainda se busca um consenso sobre a melhor forma de aplicação em sala de aula. Sobre seus efeitos, porém, existem pesquisas promissoras. “Um estudo alemão recente diz que a música é a única arte que consegue ativar ao mesmo tempo todas as áreas cerebrais”, relata a professora.

“A criança que tem esse contato com a música é mais desenvolvida em todos os sentidos, inclusive nas atividades da escola”, afirma Kelen Parcianelo, professora de musicalização na Escola Integral. Ela também trabalha com música desde cedo, e lista vários benefícios de musicalizar crianças; coordenação, imaginação, capacidade de se expressar e concentração são alguns deles.

Aulas

Segundo Kelen, a partir dos 3 anos de idade as crianças já conseguem participar de atividades de musicalização, que estimulam a escuta, a percepção do som, o contato e o manuseio de instrumentos musicais.

Nas escolas que oferecem a prática em Pato Branco, é comum que os alunos fiquem em contato com a música por praticamente toda a vida escolar. “No início é algo mais lúdico, e mais além, eles têm um pouco de noção sobre partituras e teoria musical com o uso da flauta”, diz Kelen, sobre seu método.

Helmuth Kühl
Kelen Parcianelo e seus alunos, em uma aula de musicalização

Juliane conta que suas aulas têm a intenção de formar ouvintes mais críticos. Para isso, eles são apresentados a vários ritmos, de diferentes culturas, e participam de atividades que envolvem diálogo e desenho.

“Ele vai conhecer uma gama de culturas musicais para que reconheça, fora da sala de aula, o que é bom e o que é ruim, ou de onde vem determinado som e que tipo de sensação desperta”, detalha. No Colégio Mater Dei, que possui um projeto de ensino bilíngue, as aulas de música também servem para aprimorar a oralidade em inglês.

Sofia Silveira tem 7 anos de idade, e segundo sua mãe, Ana Paula Mueller de Alcantara, não havia tido contato direto com a música antes de ir para a escola. Hoje, ela já faz serenatas para os ursinhos de pelúcia e para os pais.

A estudante conta que gosta de usar a música para se expressar, mas sua mãe notou outros detalhes: “Ela está muito mais alegre, está encantada com a professora e com as aulas”.

Helmuth Kühl
Estudantes do Colégio Mater Dei. Música com inglês

Na rede municipal de ensino, as aulas de musicalização acontecem na Escola Municipal de Artes, para alunos do 1º ao 5º ano de 10 diferentes escolas, que frequentam as aulas no período de contraturno. Na escola São Cristovão também acontecem aulas de violão.

De acordo com a secretária de educação, Heloí De Carli,  auxiliares de Educação Infantil do município já participaram de uma capacitação sobre musicalização para crianças.

Publicidade
Loterias

MEGA SENA

Concurso 1896 21/01/2017
  • 25
  • 6
  • 14
  • 21
  • 3
  • 15
Enquete

Você é a favor do voto facultativo ou entende que ele deve permanecer obrigatório?

Publicidade
Publicidade
Publicidade