Política

Viganó afirma que irá recorrer de decisão do TCE

Marcilei Rossi

24/12/2016 às 00:00 - Atualizado em 24/12/2016 às 00:00

O ex-prefeito de Pato Branco, Roberto Salvador Viganó se pronunciou na sexta-feira (23) com relação ao despacho do TCE (Tribunal de Contas do Estado do Paraná), que julgou, no final de novembro, irregular a utilização, por parte da Oscip (Organização da Sociedade de Interesse Público) Pato Branco Tecnópole, de R$ 81.167,55 repassados pelo Município por meio de convênios de 2010 e 2011.

Afirmando ter “sempre tido lisura e respeito com o dinheiro público”, Viganó diz que vai as últimas consequências e recorrer da decisão, por entender que não houve nada de errado.

Ele acrescentou ainda que a Pato Branco Tecnópole é motivo de orgulho, por tudo que representou para a cidade desde sua existência.

Viganó afirma que assim como ele, Itamir Viola, presidente da Oscip na época, também vai recorrer da decisão do TCE. Procurado pela reportagem do Diário do Sudoeste, o empresário disse que deve se pronunciar sobre a decisão nos próximos dias.

Prestação de contas

Em sessão extraordinária da Câmara de Pato Branco, realizada na tarde da quinta-feira (22), as contas do Executivo referentes ao ano de 2012, último ano do segundo mandato de Viganó, foram apreciadas pelos vereadores.

As contas que anteriormente tinham sido rejeitas pelo TCE, foram aprovadas pelo órgão após apresentação de documentação que comprovou o recebimento de recursos após o fim do mandato do ex-prefeito.

Segundo o embasamento do TCE, a comissão responsável pela apreciação das contas na Câmara aprovou a movimentação financeira de 2012.

Já no item que aponta a despesas durante o período eleitoral, a comissão do Legislativo, apontou que o TCE não acatou a justificativa de que foram gastos recursos para propaganda institucional.

Segundo o relator da comissão, por não ter oferecido prejuízos ao erário público e por não ter disputado o processo eleitoral, o parecer foi favorável. Votaram contrários Gilson Feitosa e Raffael Cantu.

O ex-prefeito, também comentou a sessão extraordinária. “Nos meus 8 anos de prefeito [2005/2008 e 2009/2012] sempre preguei respeito ao dinheiro público, e a prova está aí, todas as minhas contas aprovadas”.

Com relação à propaganda realizada durante o período eleitoral, ele reconheceu que houve erro e disse gostar de assumir quando isso acontece. “Houve um erro por parte do meu jurídico e eu mesmo não tinha conhecimento”, disse, relatando que foram feitas algumas divulgações no período eleitoral, o que não é permitido.

“Não houve desvio de dinheiro público, tanto que paguei essa publicidade do meu bolso, conforme documentos em anexo”, completou.

Novo projeto político

Afirmando ter mantido vínculos públicos com Pato Branco, mesmo após ter passado o cargo a seu sucessor em 1º de janeiro de 2013, Viganó disse ter optado em ficar calado nas eleições deste ano.

E disse “daqui dois anos temos eleições, em quatro teremos um novo processo e sempre estarei lutando e brigando por Pato Branco”. Com relação a uma futura corrida eleitoral tendo seu nome como postulante, Viganó restringiu-se a afirmar que “o futuro a Deus pertence”.

Publicidade
Loterias

MEGA SENA

Concurso 1904 18/02/2017
  • 21
  • 18
  • 56
  • 15
  • 51
  • 12
Publicidade
Publicidade
Publicidade