Região

Operação emergencial inicia tapa buracos na PRC-280

Somente em um vídeo, motorista relata que 12 veículos foram danificados em um trecho de mil metros
Operação tapa buracos iniciou na segunda-feira, mas em alguns pontos já é possível ver o piche se soltando e em outros equipes deixaram buracos grandes sem recuperar (Foto: Marcilei Rossi/Diário do Sudoeste)

Novamente a PRC-280 volta a ser alvo de reclamações da população. O motivo, as condições da rodovia que corta parte do Sudoeste do entroncamento da BR-153 em General Carneiro, até tornar-se BR-280 em Marmeleiro.

A rodovia faz parte do chamado Corredor Sudoeste, e é alvo do estudo suspenso temporariamente pelo governador Beto Richa em dezembro de 2016, que tem por intenção de privatização do corredor.

No momento da declaração da suspensão, Richa disse que “nada vai acontecer se não estiver em sintonia com as necessidades e desejos do povo do Sudoeste”.

Segundo dados do DER (Departamento de Estradas de Rodagem) de 2016 diariamente trafegam pela rodovia 7,5 mil veículos.

Construída na década de 1970, não existem registros efetivos de uma ação de ponta a ponta da PRC-280 que e com ações de melhorias efetivas da via desde então, ela somente recebeu operações tapa-buracos e emergenciais após períodos de chuva.

Assim, um usuário da via gravou um vídeo no que acreditasse ser o final de semana dos dias 10 e 11 de junho, onde pelo menos dez veículos estão no acostamento por terem problemas mecânicos em um trecho conhecido como Rincão Torcido. No entanto, segundo o autor das imagens em um percurso de mil metros, ele encontrou 12 veículos no acostamento com o mesmo tipo de problema.

A localidade é na divisa de Clevelândia a Palmas, no entanto, motoristas que usam toda a extensão da rodovia relatam problemas como buracos na pista e prejuízo de rodas entortadas e pneus estourados.

Na manhã dessa terça-feira (13), o diretor geral do DER, Nelson Leal Junior em entrevista à Rádio Celinauta, falou em “solução para a PRC-280” e afirmou ter conhecimento da quantidade de chuva que foi registrada na região nos últimos dias, que somado com a umidade segundo ele acarreta “em graves problemas para o pavimento”.

Como solução, Leal falou da realização de um trabalho emergencial “para resolver e dar mais conforto e segurança aos usuários”.

Segundo ele, no trecho entre General Carneiro (trevo da BR-153) até Palmas duas equipes estarão trabalhando nos próximos dias realizando tapa buracos e remendos profundos, o mesmo número de equipes devem atuar no trecho de Palmas a Francisco Beltrão.

Leal explicou que não é necessário a realização de licitação e completou falando que em todo o Estado o DER tem 12 mil quilômetros de estradas pavimentadas e para todo essa malha viária já existem equipes contratadas. “É dentro desses contratos que ontem (segunda-feira) iniciamos os trabalhos”, disse Leal, falando que a intenção é terminar a recuperação paliativa da rodovia até sexta-feira (16).

No entanto, leal afirma que mesmo que o trabalho emergencial seja concluído até o final de semana, as intervenções na rodovia devem prosseguir.

“Estamos fazendo um trabalho mais emergencial, para não termos mais buracos na rodovia”, disse o diretor geral falando que dentro do período de um mês ou dois “faremos uma concorrência para fazer a recuperação de alguns pontos, principalmente entre a BR-153 até Palmas a Pato Branco”, disse.

O diretor-geral em entrevista ao Diário do Sudoeste e afirmando que os pontos mais caóticos da PRC-280 são onde ocorrem acúmulos de água e que durante a recuperação podem vir a ter interferência em galerias de escoamento de chuva e não apenas em relação a base asfáltica.

Paciência

Leal pediu “paciência” aos motoristas que trafeguem mais lentamente nos trechos com problemas, “que cumpram com a velocidade em alguns pontos e que não façam ultrapassagem em locais de faixa contínua”.

De acordo com o diretor geral do DER somente para os trabalhos emergenciais de tapa buraco e remendos profundas que devem ser concluídas ainda essa semana o investimento deve variar de R$ 500 mil a R$ 600 mil.

Com relação a uma restauração de alguns trechos, Leal lembrou que em 2015 foram realizadas obras deste tipo em 32 quilômetros entre a BR-153 e Palmas, e que mais 30 quilômetros deste percurso devem ter a mesma intervenção.

Segundo ele, para esta quilometragem existe um orçamento fechado em R$ 10,5 milhões.

PPP

Foi Richa que em seu primeiro mandato, autorizou o estudo para a PPP (Parceria Público Privada) no corredor que do trevo de Marmeleiro, e acesso a Francisco Beltrão, segue o trevo de Marmelândia, no entroncamento com a BR-163 em Realeza.

Com relação aos encaminhamentos posteriores a suspensão dos estudos anunciadas pelo governado, Leal disse que os pedidos apresentados nas audiências de Pato Branco e Francisco Beltrão de duplicação da via na ligação entre os dois maiores municípios da região nos dois sentidos está sendo estudado. Para tanto está sendo cogitado a duplicação de dez quilômetros em cada sentido.

Ele também disse que ao contrário do que vinha sendo desenhado com concessão para 25 anos, agora vem sendo projetado para 30 anos, concluindo que “queremos voltar a debater com a comunidade” e ressaltando a determinação do Palácio Iguaçu de que não será feito nada contra a vontade da comunidade.

Leal explicou ao Diário que possibilidade de ampliação de prazo de concessão que vem sendo estuda é possível por mudanças na lei de concessão.

Segundo ele, até então a lei autorizava pelo prazo de 25 anos, com sua revisão, passou para 35 anos, no entanto, no caso do Corredor Sudoeste, está sendo ventilado um período intermediário.